Madrid 1,7655 EUR -0,01 (-0,7 %)
ZoomTalento Prensa

5
continentes

 

34.000
colaboradores

Investimos por princípios, convencemos pela lucratividade

Assumimos a parte que nos interessa no desenvolvimento sustentável

Trabalhamos com conhecimento e reflexão para criar debate público

M
COVID-19

É assim que funciona a
vacina contra a

COVID-19

#NaMAPFREmaisUnidosDoQueNunca

Se algo foi confirmado nos últimos meses é precisamente a importância da saúde. Na MAPFRE, nós a levamos o mais seriamente possível, por isso, pesquisamos todas as informações disponíveis sobre a vacina para levá-las até você. Porque prevenir é sempre melhor do que remediar. Especialmente neste momento.

Como funciona

Como a vacina contra a Covid-19 funciona em nosso corpo? Como o corpo reage para obter a imunidade? Este vídeo explica brevemente o processo.

Como funciona

A corrida pela imunização

Desde o aparecimento da COVID-19, laboratórios farmacêuticos e grupos de pesquisa em todo o mundo começaram a trabalhar em uma vacina eficaz para conter o avanço do vírus. A corrida para a obtenção do composto gerou uma situação peculiar, em que não param de aparecer novas versões, distribuídas de forma diversa pelo planeta. No momento da elaboração deste conteúdo, as principais vacinas são as seguintes:

Clique no nome das vacinas para ver o local de origem e os países que as utilizam

Comirnaty / Pfizer-BioNTech

  • NOME:

    BNT162b2

  • TIPO:

    RNAm

  • DOSE:

    2 doses com 21 dias de diferença entre elas

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    74

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Dor na área da aplicação, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, calafrios, dor nas articulações e febre.

  • FABRICANTE:

    Pfizer, Inc. e BioNTech

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    A vacina da Pfizer-BioNTech registrou uma eficácia de 95% na prevenção de casos de COVID-19.

    Os dados foram confirmados em laboratório com pessoas sem evidência de infecção prévia.

    Uma análise preliminar do estudo já demostrou um potencial eficácia de mais de 90% por semana na administração da segunda dose.

Moderna

  • NOME:

    mRNA-1273

  • TIPO:

    RNAm

  • DOSE:

    Duas injeções com 28 dias de diferença

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    33

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Dor na área da aplicação, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações e calafrios.

  • FABRICANTE:

    ModernaTX, Inc., NIAID, BARDA, CEPI

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    A opção da Moderna demonstrou uma eficácia geral de 94% na prevenção da COVID-19 sintomática após duas doses.

    Ampliável às pessoas com mais de 65 anos, entre os quais a eficácia é de 86%.

    Esta vacina tem a vantagem adicional de poder ser mantida a -20 °C, por isso, é possível conservá-la em um congelador convencional.

Covishield / Oxford-AstraZeneca

  • NOME:

    AZD1222

  • TIPO:

    De vetores

  • DOSE:

    Duas injeções separadas por um intervalo entre 8 e 12 semanas

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    61

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Fadiga, calafrios, dor de cabeça, dores articulares ou musculares.

  • FABRICANTE:

    Universidade de Oxford, AstraZeneca, CEPI

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    Estima-se que a eficácia do medicamento desenvolvido pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca esteja entre 60 e 90%.

    Além disso, pode ser mantido a temperaturas entre 2 e 8 °C, por isso, não é necessário utilizar nenhum dispositivo logístico especial para a sua preservação e distribuição. Com as evidentes consequências benéficas que isso implica.

Sputnik V

  • NOME:

    Gam-COVID-Vac

  • TIPO:

    De vetores

  • DOSE:

    Duas injeções com 21 dias de diferença

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    16

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Cansaço, náuseas, dor de cabeça, dores musculares e febre

  • FABRICANTE:

    Instituto Gamaleya

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    O Instituto Gamaleya anunciou que a vacina Sputnik V tem uma taxa de eficácia de 92%, embora ainda não tenha publicado nenhum artigo científico que revele todos os detalhes do ensaio clínico.

    Foi publicado na The Lancet, uma publicação médica britânica, uma análise preliminar do ensaio, que ratifica a porcentagem e não relata nenhum efeito secundário significativo.

Johnson & Johnson

  • NOME:

    JNJ-78436735

  • TIPO:

    De vetores

  • DOSE:

    Uma injeção única.

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    4

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Dor na área da aplicação, dor de cabeça, dor muscular, fadiga

  • FABRICANTE:

    Janssen Pharmaceutica (Johnson & Johnson), BIDMC

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    A principal característica desta vacina contra seus concorrentes é a sua aplicação em uma única dose, o que representa uma economia de tempo e custos fundamentais no momento em que nos encontramos.

    A esse respeito, é importante acrescentar o poder de se manter estável durante 3 meses a uma temperatura entre 2 e 8 °C.

    Sua eficácia em ensaios clínicos foi fixada em 66%, sendo um pouco mais elevada em pessoas com mais de 65 anos de idade.

Convidicea

  • NOME:

    Ad5-nCoV

  • TIPO:

    De vetores

  • DOSE:

    1

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular, spray nasal

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    3

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Dor na área da aplicação, dor de cabeça, febre, fadiga

  • FABRICANTE:

    CanSino Biologics, Instituto de Biotecnologia de Pequim

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    Os dados globais dos ensaios de fase III mostraram que o produto da CanSino tem uma eficácia de 65% na prevenção da COVID-19.

    Além da eficácia, ela compartilha com a vacina da Johnson & Johnson o mesmo número de doses (uma única) e a temperatura de conservação, entre 6 e 8 °C.

    A CanSino iniciou os testes para administrar a Ad5-nCoV também na forma de aerossol nasal.

Sinopharm

  • NOME:

    BBIBP-CorV

  • TIPO:

    Vírus inativado

  • DOSE:

    Duas injeções com 21 e 28 dias de diferença

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    24

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Cansaço, náuseas, dor de cabeça, dores musculares e febre

  • FABRICANTE:

    Sinopharm: Instituto de Produtos Biológicos de Pequim, Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    Com 79% de eficácia, a vacina da Sinopharm é capaz de manter suas propriedades durante 24 meses a temperaturas entre 2 e 8 °C, próprias de um refrigerador comum.

    Isto facilita o seu acesso a outros compostos que necessitam de tratamento especial que e requerem que a cadeia de frio permaneça a temperaturas mais baixas.

CoronaVac

  • NOME:

    CoronaVac

  • TIPO:

    Vírus inativado

  • DOSE:

    Duas injeções com 14 dias de diferença

  • ADMINISTRAÇÃO

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    16

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Dor na área da aplicação, dor de cabeça

  • FABRICANTE:

    Sinovac Biotech

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    O mais notável da CoronaVac é seu longo período de estabilidade: até três anos armazenada em condições adequadas, dentro de frigoríficos normais entre 2 e 8 °C.

    Além disso, é capaz de resistir a 42 dias em temperaturas não superiores a 25 °C, por isso, é uma boa candidata para países com cadeias de frio menos potentes.

    Sua eficácia global é de 50%.

Covaxin

  • NOME:

    BBV152

  • TIPO:

    Vírus inativado

  • DOSE:

    Duas injeções com 28 dias de diferença.

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    3

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Rigidez e fraqueza no braço que recebeu a administração, dores musculares, dores de cabeça, febre

  • FABRICANTE:

    Bharat Biotech International Limited, Conselho Indiano de Pesquisa Médica

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    A Covaxin não exige armazenamento abaixo de zero, sua apresentação é líquida e está preparada para ser utilizada em várias doses. Mantém-se estável entre 2 e 8 °C.

    Sua eficácia atinge 81% e, segundo estudos preliminares, demonstrou ser capaz de neutralizar também a variante britânica da COVID-19 (VUI-202012/01 ou B.1.1.7, em seu nome científico).

EpiVacCorona

  • NOME:

    EpiVacCorona

  • TIPO:

    De subunidades proteicas

  • DOSE:

    Duas injeções com 21 e 28 dias de diferença

  • ADMINISTRAÇÃO:

    Intramuscular

  • PAÍSES EM QUE JÁ FOI DISTRIBUÍDA:

    2

  • EFEITOS ADVERSOS COMUNS:

    Não foram registrados

  • FABRICANTE:

    Instituto Vector.

  • INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA:

    Embora o Serviço Federal de Supervisão da Proteção e do Bem-estar dos Consumidores Russos (Rospotrebnadzor) tenha afirmado que a eficácia da EpiVacCorona é de 100%, ainda não existe nenhuma publicação que avalie a estes dados.

    Espera-se que os resultados sobre os seus efeitos sejam mais precisos a partir de maio de 2021.

Tipos de vacinas

Vacinas de RNA

Usam RNA ou DNA geneticamente modificado para criar uma proteína que provoque uma resposta imunológica.

Vacinas de subunidades proteicas

Contêm partes de proteínas ou estruturas de proteínas inofensivas, mas que imitam o comportamento do SARS-CoV-2, produzindo imunidade.

Vacinas de vetores

A reação imunológica ocorre quando surgem proteínas de coronavírus de um vírus geneticamente alterado que não é causador da doença.

Vacinas de vírus inativo

Elas atuam por meio de um vírus inativo ou atenuado, que não é capaz de infectar a pessoa, embora possa obter uma resposta que a torne imune.

Doenças atenuadas
pela vacinação

A história da vacinação é antiga. Embora, tal como a conhecemos, tenha surgido no século XVIII, com o trabalho de Edward Jenner, há vozes que traçam suas origens no ano de 200 a. C. Os benefícios que este método nos proporcionou são impossíveis de serem avaliados.

Se não houver acesso à água potável, não há intervenção humana capaz de competir contra a imunização para conter doenças e diminuir a mortalidade. A comunidade científica continua trabalhando na busca de novas vacinas.

AS VACINAS EVITAM 60 MORTES POR HORA NO MUNDO TODO

60/hora

Fonte: OMS

São os produtos que têm de cumprir os mais elevados padrões de qualidade. Todas as vacinas utilizadas no momento têm demonstrado sua validade e segurança por meio de processos de verificação extensos e rigorosos por meio de um acompanhamento constante.

A IMUNIZAÇÃO EVITA QUASE 3 MILHÕES DE MORTES POR ANO EM TODO O MUNDO

Dados em crianças menores de 5 anos

Dados em crianças menores de 5 anos. Fonte: Farmaindustria

Em que consiste
a imunidade de rebanho?

A imunidade de rebanho é um conceito bioestatístico que faz referência ao momento em que, em uma comunidade, há um número suficiente de pessoas protegidas contra uma doença, interrompendo a sua propagação. Estão protegidas porque foram infectadas com ela ou porque foram imunizadas com uma vacina. Esta quantidade de pessoas varia de acordo com a condição.

No caso da Covid-19, os especialistas ainda não conhecem a porcentagem de pessoas vacinadas necessária para atingir essa imunidade coletiva. Entretanto, descobriremos esta informação em breve.

  • Pessoas saudáveis e não imunes

    Pessoas saudáveis e não imunes

  • Pessoas saudáveis e imunes

    Pessoas saudáveis e imunes

  • Contagiadas por Covid-19

    Contagiadas por Covid-19

  • Transmissão bem-sucedida

    Transmissão bem-sucedida

  • Transmissão mal-sucedida

    Transmissão mal-sucedida

Cenário inicial

1

Quando ninguém está imunizado

2

Quando algumas pessoas estão imunizadas

3

Quando a maior parte da população está imunizada

Mutação, variante e cepa

Mutação

Mutação

São pequenas mudanças genéticas que alteram as características do vírus, embora, em essência, ele permaneça o mesmo. Ocorre na sua reprodução ou no corpo de pessoas infectadas. A vacina original pode combatê-la.

Variante

Variante

Ocorre quando o vírus sofre grandes alterações ou muitas mutações. Suas características genéticas variaram consideravelmente, mas seu comportamento permanece o mesmo. A vacina original é eficiente.

Cepa

Cepa

Depois que o vírus sofreu muitas variações ou mutações, torna-se difícil identificar a sua origem. Suas características mudaram completamente e estamos praticamente diante de um vírus novo. Nesses casos, a vacina original pode ser usada, mas sua eficácia é reduzida quase pela metade.

10 perguntas que continuamos fazendo

José Antonio
Navarro Alonso
Médico membro do Central European Vaccination Advisory Group e do grupo de vacinas da AEMPS. Especialista em vacinas da EMA.

José Antonio Navarro Alonso

1

Depois de ser vacinado, ainda terei que usar máscara e manter uma distância de segurança? Existe o perigo da transmissão do vírus?

Enquanto ainda não dispomos de informações completas sobre como as vacinas afetam a infecção assintomática e a transmissão do vírus, e sobre o papel das vacinas em relação às novas variantes, é aconselhável manter todas as medidas de mitigação.

2

Posso ser vacinada se estiver grávida, amamentando ou planejando engravidar?

Os ensaios clínicos não incluíram mulheres grávidas ou mulheres em fase de amamentação. No entanto, se uma mulher grávida estiver em risco de exposição, ela pode ser vacinada com o consentimento prévio informado e de acordo com o seu obstetra.

Não há problema com relação ao período de amamentação. Recentemente, verificou-se que os anticorpos gerados pela vacina em uma gestante foram transmitidos para o bebê, e também por meio do leite materno.

3

Como sei que a vacina é totalmente segura?

Depende do que é entendido como segurança. O que é totalmente seguro na vida? Ninguém pode garantir zero riscos. O que garantimos, após os ensaios clínicos e a vigilância pós-comercialização de dezenas de milhões de doses administradas, é que a vacina possui os mais altos padrões de segurança possíveis.

4

Até que ponto a vacina é eficaz? Quanto tempo dura a imunidade à COVID-19?

Seria necessário definir eficazmente o que se entende por doença leve, moderada, grave, internação, UTI, óbito, infecção assintomática etc. Para todos esses casos, em geral, a vacina ultrapassa os 90% de imunidade.

5

Quais são os principais efeitos colaterais?

Os habituais de qualquer outra vacina. Dor no local, desconforto, calafrios, cansaço, linfadenopatia etc. Todos eles autolimitados.

6

Pessoas em tratamento com imunossupressores, como quimioterapia, anticorpos monoclonais ou glicocorticoides, podem ser vacinadas?

Por razões éticas, os ensaios clínicos não incluem pessoas com imunossupressão elevada. Uma vacinação individualizada pode ser avaliada com base no risco/benefício.

7

8

Devo ser vacinado se já tiver contraído a doença?

Visto que nem todos os portadores da doença desenvolvem anticorpos, mas não se sabe por quanto tempo e qual concentração se correlaciona com a proteção clínica dos que desenvolveram, então devemos ser vacinados.

9

Como a vacina funciona exatamente?

Estimulando o sistema imunológico a produzir anticorpos contra uma substância estranha (antígeno) capaz de causar a doença e que é inoculada no ser humano ou animal a ser protegido sem lhe causar a doença.

10

Por que razão devo me vacinar?

Por muitas razões: não contrair a doença, evitar transmitir o vírus às pessoas e aos seus familiares vulneráveis, acabar com esta situação horrível, recuperar a economia e a vida social, dar um descanso aos profissionais de saúde, poder viajar etc. O mais podemos querer?

Mitos associados à vacina

O rápido desenvolvimento das diferentes vacinas que temos atualmente tem sido acompanhado por informações de todos os tipos. Vamos esclarecer algumas ideias erradas.

A vacina modifica o material genético de quem a recebe

Não existe nenhum tipo de DNA em nenhuma das vacinas. As vacinas baseadas em RNA não entram no núcleo da célula, onde nosso DNA se encontra. Elas são incapazes de modificar o DNA de uma célula. As vacinas não causam alterações em nós, a não ser para nos ajudar a obter imunidade.

É melhor esperar e ver o que acontece com os efeitos colaterais

A possibilidade de contrairmos o vírus, infectando as pessoas ao nosso redor, ficarmos doentes e desenvolvermos sintomas graves de COVID-19, e até de morrer, é muito maior que os possíveis efeitos colaterais que a vacina possa ter.

As vacinas não têm efeito sobre novas variantes

Embora a eficácia das vacinas autorizadas possa diminuir um pouco no combate às novas variantes, é preciso lembrar que algumas delas têm uma eficácia de até 95%, quando, por exemplo, a vacina anual contra a gripe varia entre 40% e 60% de imunização. Isso, em um ano bom.

É impossível desenvolver vacinas seguras em tão pouco tempo

As vacinas usadas para combater a COVID-19 foram submetidas a rigorosos testes clínicos envolvendo milhares de pessoas após os testes iniciais em animais. Os resultados têm se mostrado seguros e eficazes, e os dados são continuamente revisados.

Você pode contrair COVID-19 por meio da vacina

As vacinas atuais não usam o vírus vivo causador da COVID-19. É preciso considerar que, após a vacinação, leva algumas semanas para que o corpo crie imunidade, portanto, é possível se infectar com o vírus um pouco antes ou depois da administração da vacina. Ou, com uma probabilidade bem menor, entre as doses.

Vacinas contra o coronavírus afetam a fertilidade

O mito surgiu porque uma pequena sequência de aminoácidos que compõe uma das proteínas de SARS-CoV-2 também está presente na sincitina, uma proteína presente na placenta. No entanto, a semelhança é muito ínfima para desencadear uma reação que leve à infertilidade.

Sou uma pessoa jovem e saudável, não preciso me vacinar

A COVID-19 continua sendo muito imprevisível e só porque uma pessoa é jovem e saudável não significa que não sofrerá complicações. Ainda não há como garantir um curso leve ou grave da doença, por isso é muito mais prudente se expor à vacina do que ao vírus.

As vacinas contêm microchips e dispositivos de monitoramento

Essa crença se consolidou quando Bill Gates, o cofundador da Microsoft, discutiu a criação de certificados digitais de registros de vacinas. A tecnologia ao qual ele se referiu não tem nada a ver com microchips. Além disso, os microchips não desempenham nenhum papel em nenhuma fase da vacina.

Para a realização deste especial, consultamos as seguintes fontes: The story of the vaccines, BBC, Medical News Today, The Conversation, Mayo Clinic, Cedars Sinai, Sputnik V, Cinco Días, OMS, The New York Times, Healthy Children, IS Global, Oxford Vaccine Trial.

Se quiser saber mais, você pode consultar informações adicionais em vacunacovid.gob.es ou no site da OMS.

A MAPFRE no combate à COVID-19

Na MAPFRE, nossa prioridade, desde o início da disseminação da COVID-19, é a proteção da saúde de nossos funcionários, clientes e colaboradores. É o que temos feito e vamos continuar fazendo. É por isso que tomamos todas as medidas necessárias.

Acelerar a vacinação

Acelerar la vacunación

Clientes y fornecedores

115 milhões euros

Destinados a apoiar o emprego de PMEs e trabalhadores autônomos na Espanha.

60 milhões euros

Descontados de suas apólices, a parte dos prêmios de seguros que cobrem a atividade profissional durante o estado de emergência.

55 milhões euros

Adiantados aos fornecedores da entidade obrigados a interromper ou desacelerar seu trabalho devido à pandemia.

Funcionários e colaboradores

Para garantir a segurança de nossos funcionários e colaboradores, praticamente todos estão trabalhando remotamente.

Não foi realizado nenhum ERTEexpediente de regulação de emprego), nem na empresa, nem na Fundación.

Empleados y colaboradores

Sociedade

Nosso compromisso vai adiante e disponibilizamos gratuitamente todos os serviços digitais da SAVIA para clientes e não clientes. Incluindo a possibilidade de atendimento integral por profissionais médicos por meio de diversos canais eletrônicos, chat, consultas por vídeo, e-mail e telefone.

Também consideramos essencial acelerar a pesquisa sobre a COVID-19 com uma contribuição de 5 milhões de euros para o CSIC.

Além disso, estendemos nosso apoio a outros países, facilitando o fornecimento de materiais de saúde, alimentos e pessoal para ajudar os setores menos favorecidos.

EE.UU.

Nos EUA, garantimos a segurança e os encargos financeiros de nossos clientes

México

Nós nos mobilizamos como agentes de mudança no México

Brasil

Fortalecemos todos os nossos canais no Brasil

Manaos

Apoiando o envio de respiradores para Manaus, capital do Amazonas

Peru

Doando fundos ao Peru para obter ventiladores e oxigênio

Ecuador

Oferecendo novos materiais de proteção, equipamentos de ozonização e trajes de biossegurança para o Ecuador

México

Fornecendo suporte telefônico e 1 milhão de euros para os mais vulneráveis no México

Colombia

Colaborando para a construção de um hospital de campanha na Colômbia

Encontre mais novidades em nossa seção Zoom em mapfre.com