MAPFRE
Madrid 2,17 EUR 0,03 (+1,21 %)
Madrid 2,17 EUR 0,03 (+1,21 %)
ECONOMIA| 15.03.2023

Fundos garantidos vs. depósitos: qual é a melhor opção para os poupadores?

Thumbnail user
As altas de ativos produzidos com o objetivo de combater a inflação fizeram com que produtos que estavam há anos esquecidos chamassem novamente a atenção dos investidores privados.

Nessa leva. entram vários tipos de ativos, desde Títulos do Tesouro aos depósitos bancários. Tradicionalmente, essas opções eram as favoritas dos investidores mais conservadores antes de os ativos estarem em 0%, uma situação que os obrigou a buscar opções com maior risco que oferecessem melhores retornos.

Os Títulos do Tesouro experimentaram um aumento relevante em seus retornos ao subir acima de 3% depois das quedas registradas em 2022 em toda a renda fixa, e saltaram aos titulares devido às longas filas de investidores que se formaram nas portas do Banco da Espanha.

Alberto Matellán

Alberto Matellán, economista chefe da MAPFRE Inversión, explica que o investimento direto em Títulos poderia não ser o adequado para todos os investidores e recomenda outro produto: os fundos garantidos. São produtos que garantem que, no mínimo, em uma determinada data futura, será conservado o total ou parte do investimento inicial, conforme explica a Comissão Nacional do Mercado de Valores (Espanha) em seu site, onde especifica que estes não garantem a rentabilidade a todo momento, mas somente na data de vencimento.

“Com os ativos onde estão e bons gestores de renda fixa, em breve será possível encontrar produtos garantidos com as mesmas rentabilidades e até superiores aos títulos”, acrescenta.

Eduardo Ripollés, diretor de vendas institucionais da MAPFRE AM, destaca que a entrada nos fundos garantidos foi “muito rápida” desde que começaram os aumentos das taxas de juros. Isto é confirmado pelos números da Inverco: em fevereiro, registraram entradas de 647 milhões de euros, o que coloca o total desde o início do ano em quase 944 milhões.

Estes veículos investem principalmente em títulos e bônus do tesouro, o que oferece uma maior diversificação em relação ao investimento direto nesses ativos. Além disso, as carteiras também podem incluir alguns bônus corporativos e até bônus indexados, por isso se mostram como a opção ideal para os poupadores mais conservadores.

Ripollés lembra que outra das vantagens dos fundos garantidos é a possibilidade de transferência sem pedágio fiscal. “Eo investidor tem a opção da transferência entre fundos sem pedágio fiscal, o que o ajuda no planejamento fiscal e na possibilidade do diferimento de pagamento de ganhos ou perdas se assim o considerar “, ressalta.

Os depósitos, muito longe de oferecer bons retornos

Os depósitos são produtos pelos quais o usuário deposita uma quantidade de dinheiro a um prazo determinado em troca de uma remuneração previamente estabelecida. Historicamente, foram uma das formas que os bancos tiveram de aumentar a liquidez e de criar dinheiro, já que estes, por sua vez, emprestavam esse dinheiro depositado.

Estes foram especialmente rentáveis durante a crise financeira. Quando freou o financiamento atacadista, os bancos tiveram que se concentrar em sua clientela para conseguir liquidez, o que fez com que aumentasse a remuneração dos depósitos para níveis de 5% em alguns casos.

Mas agora, a situação é outra. As entidades contam com liquidez de sobra, o que faz com que não seja necessário aumentar a rentabilidade dos depósitos, que na Espanha se mantém em níveis bastante baixos, exceto algumas exceções no caso de bancos menores. Segundo dados recentes do Banco Central Europeu (BCE), em média, em janeiro pagavam juros de 0,69% pelos depósitos a dois anos, em comparação com a média de 1,2% na zona do euro e de mais de 1,8% das entidades da Itália e da Holanda.

O governador do Banco da Espanha, Pablo Hernández de Cos, explicou em uma intervenção recente que a transferência da alta das taxas está sendo mais lenta do que em outros períodos, especialmente no caso dos depósitos.

“Em comparação europeia, o padrão nas principais economias segue em termos gerais este comportamento atrasado em relação aos episódios anteriores, embora no caso espanhol a transferência em 2022 tenha ficado abaixo da média, especialmente para os depósitos. A particularidade do ponto de partida deste episódio, com ativos de mercado abaixo de zero, e o excesso de liquidez acumulado pelas entidades de depósito estariam contribuindo para este fenômeno “, assinalava De Cos.

Assim, a previsão é de que a rentabilidade oferecida pelas entidades bancárias pelos depósitos se mantenha baixa no futuro imediato, o que faz com que não sejam a melhor opção para os poupadores que queiram obter.

 

ARTIGOS RELACIONADOS: