logo-mapfre
Madrid 1,819 EUR 0,03 (+1,62 %)
Madrid 1,819 EUR 0,03 (+1,62 %)

CONFIANÇA| 23.11.2021

Os melhores fios vermelhos do cinema

Thumbnail user

A Sétima Arte oferece numerosos exemplos de como o apoio dos seres queridos é fundamental para qualquer tipo de desafio que as pessoas enfrentam.

Se tem uma arte que refletiu a sociedade no último século, foi o cinema. A Sétima Arte foi o espelho onde se viram -e continuam se vendo- refletidas milhões de pessoas. Não é à toa que os estúdios cinematográficos e os críticos sempre o venderam como uma fábrica de sonhos. E, ainda que seja uma definição correta, talvez seja um pouco injusta com o que a grande tela oferece e mostra aos espectadores, que não é nada mais, nada menos que a humanidade. As relações entre seres humanos são o autêntico motor não apenas do cinema, mas de qualquer história que vem sendo contada desde que os gregos inventaram o teatro (ou até mesmo antes).

Por isso, o cinema é um reflexo das vivências que cada dia experimentam diversos tipos de pessoas. E é esta realidade que enlaça com nossa campanha #ConfianzaMAPFRE, na qual reparamos em todas aquelas pessoas que estão por trás de cada conquista individual, isto é, naqueles que são um pilar fundamental na trajetória vital que leva à obtenção de um objetivo.

Então, nossa proposta foi fazer um percurso por alguns filmes que mostram com perfeição como o apoio de um ser querido com o qual se compartilha o famoso fio vermelho é fundamental para conseguir a ansiada meta, seja ela da natureza que for.

 

A lenda do Fio Vermelho

Esta lenda provém da mitologia oriental, e afirma que os deuses “amarram” um fio vermelho naqueles que estão predestinados a se encontrar na vida para ter uma história conjunta importante. Além disso, esse fio jamais se romperá; pode até se desgastar ou esticar, mas nunca arrebentará.

Sua popularidade é tão grande que existe até um filme argentino chamado assim (“O fio vermelho”), que trata da imparável atração que sentem um homem e uma mulher, mesmo depois de terem passado a metade da vida sem se ver e terem formado suas respectivas famílias.

Sem dúvida se trata de uma lenda muito romântica e, em inúmeras ocasiões, nos referimos a ela de um ponto de vista amoroso, como nesse filme. No entanto, esse fio vermelho não só existiria entre duas pessoas que se sentem atraídas de forma amorosa, mas também entre aqueles que estão destinados a ser importantes um para o outro, forjando uma união que durará para sempre.

Em relação aos filmes onde se criam relações entre personagens que fortalecem a confiança para superar qualquer desafio, selecionamos alguns entre vários tipos de gênero, embora existam muitos outros, como na vida real.

“Pequena Miss Sunshine”

Este filme foi uma das revelações de 2006 graças a um elenco excelente e uma história deliciosa. Nela, uma pré-adolescente (Abigail Breslin) deseja participar de um concurso de beleza no qual não tem a menor chance de ganhar. Apesar de tudo, o apoio de sua família -composta por pessoas com numerosos problemas pessoais que não sabem enfrentar- será essencial para que a menina participe. Como era de se esperar, o resultado não é o desejado… ou sim, pois demonstra que ela só precisa do apoio incondicional dos seus seres queridos, aqueles que a estão acompanhando em sua transição para a maturidade.

“O discurso do rei”

Protagonizado por Colin Firth e Geoffrey Rush, é um bom exemplo de duas pessoas que estavam destinadas a se conhecer e mostra como, graças a esse encontro, o rei Jorge V do Reino Unido (interpretado por Colin Firth) conseguiu superar sua gagueira e dar um discurso crucial diante da iminente entrada na Segunda Guerra Mundial. O filme -que ganhou o Oscar de melhor do ano- se centra na relação profissional e de amizade entre o monarca e a fonoaudióloga, que se baseia na confiança que têm entre si, apesar de suas diferenças sociais.

“O Senhor dos Anéis”

Mesmo uma trilogia de fantasia repleta de vários tipos de seres mágicos é construída a partir das relações pessoais que tornam possível a derrota do mal puro encarnado por Sauron. Os verdadeiros protagonistas são os seres que parecem menores e mais fracos: os hobbits. Graças à confiança e à inquebrantável lealdade de um deles, Samsagaz Gamyi (Sean Astin), o herói da história consegue levar o Anel do Poder até o Monte do Destino para destruí-lo. E embora em certas ocasiões possa parecer que as pernas deles fraquejam, o fio que une os dois personagens nunca se rompe. Sam acredita cegamente em Frodo (Elijah Wood), um sentimento que serve de combustível para completar sua missão.

“Tempo de Despertar”

O ano 1990 trouxe à grande tela uma história baseada em fatos reais em que Robin Williams e Robert de Niro deram o melhor de si interpretando um médico e um doente de encefalite letárgica, mais conhecida como doença do sono. No filme, o doutor investiga um fármaco que consegue “despertar” os pacientes durante uma temporada. É então que se forja uma forte relação entre os dois personagens, baseada na confiança que o doente tem em que o trabalho de seu médico dará os frutos desejados.

“A vida secreta de Walter Mitty”

Walter Mitty (interpretado por Ben Stiller) é um homem que vive uma vida cinza trabalhando na revista Life. No entanto, tem uma imaginação desenfreada que lhe impede melhorar suas relações sociais. Durante a trama, descobre os dois fios vermelhos que farão com que sua tediosa existência mude. Por um lado, está apaixonado por uma companheira de trabalho (Kristen Wiig) que o destino pôs em seu caminho. E, por outro lado, é o contato da revista com um dos fotógrafos mais famosos (Sean Penn), que ele não conhece em pessoa, mas com o qual está mais unido do que pensa. Tanto é que os dois acabam se encontrando na montanha mais longínqua tirando a foto mais incrível. Uma verdadeira ode à vida.

“Intocáveis”

Um homem rico que ficou tetraplégico por um acidente em um voo de parapente (François Cluzet) conhece um jovem de origem senegalesa que se torna seu assistente pessoal (Omar Sy). Os dois não têm nada em comum e inclusive se encontram em diferentes momentos da vida. No entanto, a relação entre eles será proveitosa, forjando uma amizade que, de alguma maneira, sempre os manterá unidos.

“Mesmo se nada der certo”

Mesmo se nada der certo é uma história de segundas oportunidades onde se encontram um antigo produtor musical de sucesso (Mark Ruffalo) e uma jovem com o coração partido que tem mais talento do que ela mesma pensa (Keira Knightley). Uma música, uma cerveja e um local unirão os dois na aventura de gravar um disco que conseguirá curar as feridas de ambos. Neste caso, seu fio vermelho será o indubitável poder da música; e a confiança que edificam entre si será o motor que os levará a superar seu desafio.

“O lado bom da vida”

Outro desses filmes de personagens traumatizados que precisam sair do poço em que estão afundados. Os dois protagonistas (Bradley Cooper e Jennifer Lawrence) são uma espécie de párias em sua comunidade devido ao seu controverso passado. No entanto, o apoio que eles se dão e o desafio de se apresentarem para um concurso de dança faz com que superem todos os medos que os paralisam.

“Gênio indomável”

Finalizamos com outro título em que aparece Robin Williams. Neste caso, o ator interpreta o professor que se torna a âncora que ajudará um jovem prodígio (Matt Damon) a tirar proveito de todo seu potencial. Somente devido à confiança que despertará no rapaz (que se dedica à limpeza e a vários tipos de trabalhos temporários), este abandonará sua zona de conforto e empreenderá novos desafios mais condizentes com suas capacidades.