MAPFRE
Madrid 2,36 EUR 0 (0,17 %)
Madrid 2,36 EUR 0 (0,17 %)

CORPORATIVAS |  31.10.2022

A MAPFRE ganha 488 milhões de euros entre janeiro e setembro e os rendimentos superam os 22,2 bilhões (+12,2%)

Thumbnail user

PONTOS FUNDAMENTAIS DO TRIMESTRE

Os prêmios do Grupo crescem 12,1% até os 18,644 bilhões de euros. 

A hiperinflação lastra 52 milhões ao lucro, sem este efeito o resultado teria crescido mais de 1,3%, até 540 milhões de euros. 

Os prêmios do negócio ressegurador aumentam 14,4% e o lucro mais de 10%. 

O negócio segurador cresce intensamente em praticamente todos os países em que a MAPFRE está presente. 

Iberia, Brasil e Latam Sul são as áreas regionais que mais lucro proporcionam ao Grupo. 

Na LATAM, o resultado cresce 65% até ficar acima dos 188 milhões de euros. 

A MAPFRE abonará um dividendo a receber do exercício 2022 de 6 centavos de euro por ação no dia 30 de novembro. 

O Conselho de Administração já supera os 40% de conselheiras recomendados pela Comissão Nacional do Mercado de Valores (Espanha) 

Os prêmios da MAPFRE entre janeiro e setembro deste ano aumentaram para 18,644 bilhões de euros, o que significa um aumento de 12,1%, com crescimento em praticamente todos os países em que o Grupo opera e nos principais ramos do negócio. A evolução dos prêmios em bases homogêneas, isto é, sem os efeitos do prêmio bienal do México e a saída do Bankia, e sem o impulso das divisas, que proporcionam 5,5 pontos percentuais ao crescimento, este teria sido de 10,6%, isto é, um aumento também de dois dígitos no negócio.

Os rendimentos, por sua vez, aumentaram 12,2%, até alcançar os 22,202 bilhões de euros no encerramento de setembro deste ano.

O lucro líquido do Grupo foi de 488 milhões de euros (-6,9%). Por ramos, destaca-se o bom resultado dos segmentos de Seguros Gerais e Vida Risco, com uma sinistralidade por Covid que perde relevância em todos os países. O aumento do lucro destes ramos reduz parcialmente a evolução de automóveis, afetado pela recuperação da mobilidade após a Covid e o atual cenário de inflação persistente. É destacável igualmente a melhora no resultado financeiro recorrente em um contexto de alta de tipos, que deveria continuar nos próximos trimestres, que permite diminuir a queda de mais-valias realizadas nas ações e fundos de investimento. Por regiões, destaca-se a contribuição da Iberia, com quase 300 milhões de euros, e o bom resultado da América Latina em que destacam-se o Brasil e o Peru. A MAPFRE RE continua com uma boa contribuição em suas duas unidades, Resseguro e Global Risks, alcançando quase 94 milhões de lucro, apesar dos sinistros catastróficos registrados no exercício, especialmente as secas da bacia do rio Paraná, que significa um impacto de cerca de 60 milhões de euros. O custo total dessa seca para o Grupo supera os 105 milhões. Também foi relevante o furacão Fiona, com um custo líquido de 22 milhões de euros por sinistros principalmente em Porto Rico.

A taxa combinada no encerramento do mês de setembro situou-se em 98,4%, o que representa um aumento de 1,9 pontos percentuais, afetado principalmente pelo negócio de automóveis. O aumento da sinistralidade em 3,4 pontos, compensa-se parcialmente pelo plano de redução de gastos implantado, que melhora a taxa em quase 1,5 pontos.

Neste trimestre, aplicou-se pela primeira vez a re-expressão de estados financeiros à filial na Turquia, com um efeito líquido positivo nos fundos próprios do Grupo de 30 milhões de euros, que é composto de um aumento de 47 milhões em capital e reservas, e um impacto negativo no resultado de quase 17 milhões de euros. A Turquia une-se à Argentina e à Venezuela como países hiperinflacionários, gerando um impacto negativo por re-expressão no resultado de 52 milhões de euros. Eliminado este efeito em ambos os anos, o lucro de 2022 teria crescido 1,3%.

A elevada diversificação do Grupo, tanto de negócio como geográfica, reflete-se no destacado aumento dos prêmios, assim como na estabilidade do resultado e na solidez da base de capital da MAPFRE. Os fundos próprios, que crescem para 7,592 bilhões de euros, apresentam uma redução de 10,3% desde o início de 2022, motivada pela alta das taxas de juros, enquanto o ROE aumenta para mais de 9%.

A taxa de Solvência II em junho deste ano (último dado disponível) situou-se em 219,8%, com 84% de capital da mais alta qualidade (nível 1). Esta taxa reflete uma grande solidez e estabilidade, baseada na diversificação e na estrita política de investimento e gestão do Grupo.

Os investimentos da MAPFRE alcançam 41,726 bilhões de euros e metade deles corresponde à renda fixa soberana.

O patrimônio dos fundos de aposentadoria eram de 5,493 bilhões de euros no final de setembro (-14,6%), enquanto os dos fundos de investimento totalizavam 5,282 bilhões de euros (-2,3%).

1.- UNIDADE DE SEGUROS

Os prêmios da Unidade de Seguros ao finalizar os três primeiros trimestres de 2022 aumentaram para 15,624 bilhões de euros, o que significa um aumento de 13,9% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

 

Ibéria 

  • Na Área Regional Iberia (Espanha e Portugal), os prêmios aumentaram para 5,765 bilhões de euros, o que significa 1,1% a mais que o ano anterior. Descontado o efeito do Bankia Vida (cujos prêmios em 2021 aumentaram para 126 milhões de euros), o crescimento recorrente desta área regional seria de 3,4%. Iberia continua sendo a área que mais contribui com o lucro do Grupo, com um total de 299 milhões de euros.

Na Espanha, os prêmios mantiveram-se estáveis, alcançando os 5,6 bilhões de euros.

No negócio de Automóveis, os prêmios cresceram para 1,672 bilhões de euros, um número similar à dos nove primeiros meses do ano anterior. O número de veículos segurados cresce ligeiramente superando os 6,2 milhões. O aumento da sinistralidade em mais de 6 pontos, impulsionado pelo efeito da inflação no custo das reparações, elevou a taxa combinada do ramo.

O negócio de Seguros Gerais cresceu 4,6%, até os 1,779 bilhões de euros, com uma melhora da taxa combinada de 3,5 pontos. Destaca a evolução do seguro de Empresas (+10,3%), Comunidades, com um crescimento de 7,8%, Lar (+2,8%) e o de Saúde (+6,9%).

No negócio de Vida, os prêmios chegaram a 1,301 bilhão de euros (-6,3%) no final de setembro. Esta queda explica-se pela saída do Bankia Vida do perímetro do Grupo, já que sem esse efeito os prêmios do ramo de Vida teriam crescido 3%.

América Latina 

As três regiões que integram o negócio da MAPFRE na América Latina registraram uma evolução muito positiva tanto no crescimento da atividade seguradora como na rentabilidade obtida. Os prêmios da MAPFRE na América Latina cresceram 26% em relação ao ano anterior e situam-se em 6,848 bilhões de euros, enquanto o lucro cresce 65%, até 188 milhões de euros.           

Brasil: 

  • No Brasil, os prêmios registraram um aumento de 45,3%, até superar os 3,682 bilhões de euros. Este forte crescimento, além da melhora do negócio, apoia-se também na revalorização do real brasileiro (18%). O Brasil é a segunda área regional que mais contribui com o lucro do Grupo, com 93 milhões de euros, 86% a mais que o mesmo período do ano anterior, graças, entre outros fatores, à menor sinistralidade derivada da Covid e da maior rentabilidade das carteiras de investimento.
  • Por ramificações, Seguros Gerais é o que mais contribui para o Grupo, com um volume de 2.127 milhões de euros (+59,5%), seguido por Vida, com 1.086 milhões de euros (+25,8%) e Automóveis, com crescimento de 39,3% até 468 milhões de euros.

Latam Norte: 

  • Na Área Regional Latam Norte, os prêmios do negócio de seguros chegaram a 1,650 bilhão de euros (-5,2%). Esta queda explica-se porque em 2021 se emitiu uma apólice bienal no México, por montante de 472 milhões de euros. Excluindo esse impacto, o crescimento teria passado de 30%. 

O lucro líquido desta área regional também experimentou um importante aumento (42,4%), até alcançar os 29 milhões de euros, graças entre outros aos negócios de Vida Risco e Saúde que melhoraram consideravelmente pela positiva evolução da pandemia.

Por países, destaca-se a contribuição do México, com 840 milhões de euros em prêmios (-24,9%), seguido pela América Central, com 489 milhões de euros, com um aumento de 27,2%, e República Dominicana, que cresceu 34,8%, até os 321 milhões de euros.  

Latam Sul: 

  • Os prêmios da Área Regional Latam Sul, no encerramento de setembro deste ano, atingiram 1,516 bilhões de euros, que representa um aumento de 29,4%. É importante sublinhar que todos os ramos crescem, destacando-se a positiva evolução de Vida Risco (+37,7%), Saúde e Acidentes (+31,3%), Automóveis (+29,7%), Seguros Gerais (+28,5%) e Vida Poupança (+20,6%). O lucro desta área regional aumentou 50,6% até superar os 66 milhões de euros.

Todos os países da região registraram crescimentos em seu volume de prêmios de dois dígitos. O Peru continua sendo o país que mais prêmios (531 milhões, +41,4%) e lucro (39, milhões, +171,3%) proporciona ao Grupo nesta região. O volume de prêmios na Colômbia cresceu a 323 milhões de euros, com um crescimento de 13,7%, e o lucro praticamente triplicou-se até os 21 milhões de euros. Destaca-se também a evolução do Chile, com um aumento de 26,7% nos prêmios, chegando a 278 milhões de euros, e um lucro de 6 milhões de euros, 6,4% mais.

América do Norte:

  • Na Área Regional América do Norte, os prêmios aumentaram 28,6%, até alcançar os 1,983 bilhões de euros, destacando-se o crescimento dos ramos de Automóveis (+16,8%) e Seguros Gerais (+15,9%). O resultado situou-se em 11,2 milhões de euros (-85,4%) altamente afetado pela sinistralidade de automóveis e o custo do furacão Fiona, que afetou Porto Rico e aumentou para 22 milhões de euros.

Nos Estados Unidos, o aumento dos prêmios foi de 32,9% e chegou a 1,689 bilhão de euros, enquanto em Porto Rico, o crescimento foi de 8,4%, até os 295 milhões de euros.

Eurásia: 

  • Na Área Regional Eurásia, o volume de prêmios foi similar ao dos nove primeiros meses do ano anterior, superando os 1,028 bilhões de euros. Por países, a Alemanha é o que mais prêmios proporciona ao Grupo, com 299 milhões de euros (+0,6%), seguido por Malta, com 273 milhões (-6,5%) e Turquia, com 265 milhões (+16,4%).

2.- UNIDADES DE RESSEGURO E GLOBAL RISKS

  • Os prêmios da MAPFRE RE, que inclui o negócio de resseguro e o de grandes riscos, cresceram 18% entre janeiro e setembro, até 5,558 bilhões de euros, com um lucro de 94 milhões de euros (-2%), apesar da ocorrência de vários eventos catastróficos. É importante destacar a melhora de um ponto percentual da taxa combinada, que está em 97,5%.

O negócio ressegurador fechou os nove primeiros meses deste ano com prêmios de 4,202 bilhões de euros (+14,4%), enquanto o lucro cresceu 10,1%, até os 77 milhões de euros.

Os prêmios do negócio de Global Risks aumentaram 30,7%, chegando a 1,356 bilhões de euros. Por sua vez, o lucro foi de 17 milhões de euros.

3.- UNIDADE DE ASSISTÊNCIA

Por último, os lucros da unidade de Assistência se situaram em 325 milhões de euros (-29,3%). Esta queda explica-se fundamentalmente pela saída das operações de seguro de Viagem no Reino Unido e Century nos Estados Unidos, assim como pela venda do negócio na Austrália, tal como estava previsto no plano de reestruturação.

Ao finalizar setembro, o lucro desta unidade situou-se em 8 milhões de euros, graças fundamentalmente à venda de operações. Sem este efeito, a contribuição para o resultado desta unidade continua sendo positiva.

DIVIDENDO

O Conselho de Administração concordou que o pagamento do dividendo a receber do exercício de 2022 de 0,06 euros brutos por ação será pago dia 30 de maio.

OUTROS ACORDOS: 

O Conselho de Administração acordou a nomeação de Marieta Jiménez Urgal como conselheira independente da MAPFRE S.A., em substituição de José Antonio Colomer Guiu, que se aposentou recentemente ao cumprir a idade máxima prevista nos estatutos sociais para pertencer ao órgão máximo de decisão da empresa. Marieta Jiménez é graduada em Farmácia pela Universidade de Salamanca. Presidenta europeia de Merck Biopharma, conta com uma experiência de mais de 20 anos em multinacionais farmacêuticas, nas quais ocupou diferentes posições. Além disso, incorpora-se ao Comitê de Nomeações e Retribuições. Após esta incorporação, o Conselho supera 40% de mulheres no mesmo, tal como recomenda a Comissão Nacional do Mercado de Valores (Espanha).

A esse mesmo Comitê de Nomeações e Retribuições incorpora-se também Antonio Miguel-Romero de Olano. Também, Ana Isabel Fernández Alvarez incorpora-se como vogal à Comissão Delegada da MAPFRE S.A.

Por outro lado, Antonio Gómez Ciria passa a ocupar a presidência do Comitê de Riscos e Sustentabilidade, em substituição a José Antonio Colomer, e incorpora-se como porta-voz do Comitê de Auditoria e Cumprimento. A esse mesmo Comitê de Riscos e Sustentabilidade incorpora-se também Francisco Marco Orenes.

 

As Medidas Alternativas de Rendimento (MAR) utilizadas no Relatório, que correspondem às medidas financeiras que não estão definidas nem detalhadas no âmbito das informações financeiras aplicáveis, podem ter sua definição e cálculo consultados no seguinte site: https://www.mapfre.com/media/shareholders/2022/2022-03-22-alternate-performance-measures.pdf