logo-mapfre
Madrid 1,819 EUR 0,03 (+1,62 %)
Madrid 1,819 EUR 0,03 (+1,62 %)

INOVAÇÃO| 11.07.2022

A visão do CEO da Insurtech Israel sobre o futuro do ecossistema

Thumbnail user

Entrevistamos Kobi Bendelak, CEO da InsurTech Israel, com mais de 22 anos de experiência no setor de seguros, para falar sobre inovação no setor das insurtechs e o papel de Israel neste ecossistema.

No MAPFRE Open Innovation (MOi) utilizamos alianças com outros atores e tecnologias emergentes, como a própria Israel InsurTech, para criar um impacto positivo em nosso negócio e na sociedade. Enriquece-nos contar com partners deste peso, com os quais colaborar no desenvolvimento do futuro do setor.

Na MAPFRE inovamos por um presente melhor que dê lugar ao futuro que merecemos.

INSURTECH KOBI

Bendelak é diretor geral da InsurTech Israel, criada com o objetivo de promover e liderar o ecossistema israelense das Insurtechs. A empresa tem quatro áreas de atividade, as quais explica em detalhe como funcionam e como elas podem ajudar as startups a desenvolverem seus negócios neste setor em rápida mudança e tão inovador.

Em primeiro lugar, é preciso entender o que é uma insurtech. Como definido no dicionário do MAPFRE Open Innovation (MOi), insurtech é o termo empregado para denominar a aplicação de capacidades das novas tecnologias no setor dos seguros. Participam no ecossistema das insurtech tanto empresas de seguros quanto gigantes tecnológicos, startups, agentes e corretores profissionais de seguros e redes de prestadores de serviços a clientes. Em nosso caso, consideramos todo este amplo espectro na hora de desenvolver nossas novas propostas inovadoras.

A disrupção destas startups no setor de seguros impulsionou a incorporação de tecnologias como big data, blockchain ou inteligência artificial (IA), para transformar totalmente a indústria e toda sua cadeia de valor. Mas como impulsionar todas estas startups e empreendedores presentes no ecossistema? A Insurtech Israel compartilha seu ponto de vista e explica o intenso trabalho neste campo.

Em poucas palavras, o que é InsurTech Israel e que tipo de projetos ela financia?

InsurTech Israel é líder do ecossistema das insurtechs em Israel. Estamos em Tel Aviv e funcionamos tomando como base quatro pilares.

O primeiro pilar é o investimento. Assim, a nossa principal atividade é basicamente investir nas empresas emergentes israelenses de insurtech. O segundo pilar é o Biz Dev (desenvolvimento de negócios), focado em consultar seguradoras, empresas de capital de risco e empresas emergentes nas insurtechs de maneira global. Auxiliamos as insurtechs israelenses com o aperfeiçoamento e comercialização de seus produtos em países de todo o mundo. Ajudamos empreendedores a definirem sua proposta de valor, compreendendo o fluxo de trabalho de destino de seus produtos, avaliando possíveis casos de uso comercial e analisando seus mercados-alvo.

Pessoas de todo o mundo demonstram muito interesse no ecossistema e na tecnologia das insurtechs israelenses. O ecossistema das insurtechs israelenses é uma comunidade com cerca de 200 novas empresas. Para conectar os interesses em relação à exposição de ambas as partes, criamos a seção “Notícias e meios de comunicação”.

O terceiro pilar são as atividades midiáticas, uma seção de meios de comunicação que tem implementado uma turnê global para apresentar o ecossistema das insurtechs israelenses. Isto é conseguido mediante eventos, um boletim semanal centrado nas atividades de nossos membros, um podcast popular, destaque dos membros e contribuições de liderança intelectual, assim como a página web de notícias. Temos muitas atividades para apresentar as empresas emergentes do mundo, mesas redondas, conferências, delegações, etc. São atividades que representam uma ótima ferramenta para conectar com potenciais clientes e investidores.

O quarto pilar é o programa acelerador, graças a uma série de bons partners globais de insurtechs, como Deloitte, Microsoft e muitos outros a nível internacional. É o maior acelerador das insurtechs em Israel. O Israeli Insurtech Accelerator (IIA) é centrado em ajudar startups e empresas de insurtech que desejam fazer parte deste setor. As empresas emergentes selecionadas e outras companhias participarão em um programa personalizado único de dez semanas, para apresentar sua organização a figuras líderes no mundo dos seguros e das insurtechs, na cidade de Tel Aviv e aos maiores mercados do mundo. Global Insurance Accelerator é um acelerador de negócios projetado como um mentor, que visa promover a inovação no setor segurador e apoia empresas emergentes que apontam para o setor segurador internacional.

As novas startups do IIA criam ferramentas para oferecer apoio na comunidade seguradora. Oferecemos financiamento, orientação e networking, trabalhando lado a lado com uma equipe internacional de mentores, com o apoio firme de nossos importantes partners, Brokertech Venture, a InsurTech Israel e uma ampla gama de colaboradores, como Microsoft, Dell, Sompo Insurance, Milliman, Deloitte Sapiens, entre outros. Os partners exclusivos de nosso acelerador nos ajudam a apresentar as novas startups locais aos principais agentes e investidores no mundo dos seguros. O acelerador pretende atender às necessidades dos negócios locais que visam o mercado internacional. Portanto, esses quatro pilares nos tornam muito competitivos em Israel.

Que papel as empresas de insurtech desempenham para que os seguros se tornem acessíveis a todas as camadas da sociedade?

O setor das insurtech é uma ferramenta muito importante para acelerar as mudanças que o setor segurador precisa implementar em um novo e desenvolvido mercado financeiro. O setor segurador não deve ficar atrás do que os clientes exigem e precisam. Devido a todas estas mudanças, as seguradoras perceberam, especialmente na época da COVID, que precisam progredir com tecnologia e ferramentas que as ajudem a funcionar de forma diferente. O critério das empresas emergentes e do setor é oferecer apoio, especialmente com boa tecnologia e grandes soluções. Portanto, o setor das insurtechs é um dos melhores e maiores do mundo, pois está conseguindo ajudar as seguradoras a crescer e moldar a mudança que se materializará nos próximos anos.

Quais acredita que são as ferramentas tecnológicas que as seguradoras têm adquirido ultimamente? 

O foco tem sido o processo de digitalização. Elas implementaram software e tecnologias que ajudam a digitalizar, a fim de encontrar novas formas de relacionamento com os clientes. Então, é esse o critério e isso é o que observamos até agora, mas nos próximos anos vamos testemunhar um movimento diferente, graças ao uso da tecnologia: gerações insurtechs 2.0. Uma vez que as seguradoras tenham alcançado a digitalização e digitalizado seus processos, elas poderão utilizar os dados, as relações com os clientes se tornarão mais ágeis e a assinatura mais rápida e precisa.

Os serviços serão fáceis e diretos com os clientes, o processo de reclamação rápido e de melhor qualidade nos próximos anos e haverá mais produtos de seguros diferentes no mercado que não estamos vendo agora, um produto sob medida para o cliente, diferentes tipos de coberturas e diferentes tipos de apólices. Veremos um tipo diferente de produto, outro tipo de serviço e os benefícios para as seguradoras serão ainda maiores.

 

Qual seria o maior desafio para as insurtechs nos próximos anos? Quais inovações vamos ver? 

As insurtechs estão formadas por dois tipos de empresas emergentes: as B2B (negócio a negócio) e as B2C (negócio a consumidor). O desafio para as B2B é mudar a mentalidade de todo o setor segurador. As seguradoras sabem aceitar riscos, mas elas não gostam de correr riscos que não conhecem, e trabalhar com as insurtechs é um risco que desconhecem. Então, será preciso mudar de mentalidade para estar abertos a novas mudanças.

Portanto, o novo desafio para as B2B é convencê-las de que o risco que aceitam com a adoção de uma tecnologia nova é assumível e, sobre essa base, ajudar a seguradora a vender mais produtos e aprofundar as relações.

Para as novas empresas insurtech B2C, o desafio é algo diferente porque, neste momento, a maioria das pessoas é leal às seguradoras. O setor segurador é construído com base na confiança e, se existe uma relação com uma seguradora e foi construída uma relação de confiança, será muito difícil tomar uma decisão e mudar a forma de usá-la ou trocar de seguradora. Portanto, o desafio para as B2C é gerar confiança com os clientes e, enquanto gerem essa confiança, elas poderão crescer.

Isto porque o setor segurador se classificou a si mesmo, com grande quantidade de dados. Ele alcançou o objetivo de classificar os dados e agora pode aprender muito sobre eles, para obter uma melhor assinatura, prestar um melhor serviço e conectar melhor com os clientes. Por isso, veremos muitas ferramentas de assinatura e ferramentas de prevenção.

Essas inovações nos ajudarão a saber mais e ser melhores. A partir daí, haverá muitas ferramentas: novos seguros de saúde, ferramentas climáticas que ajudarão na prevenção e melhor assinatura de riscos, assim como muitas ferramentas de bem-estar e saúde, novas ferramentas baseadas em IA, e assim por diante.

 

Você já investiu em quatro novas empresas de insurtech. Poderia contar mais sobre cada uma delas? 

Temos alguns bons investimentos, que dão uma ideia de como é o setor das insurtechs em Israel. Primeiro está Ravin.Ai, que pode facilmente oferecer assistência em danos de automóveis e fechar reclamações de automóveis em uns segundos. É uma ótima ferramenta para as seguradoras.

A segunda ferramenta emergente que realmente gostamos é Five Sigma. Trata-se de uma ferramenta de IA e serviços, que pode ajudar os clientes a gerenciar reclamações e processá-las de uma maneira mais simples e inteligente.

A terceira se chama Healthee e é uma ferramenta que pode ler a apólice do seguro de saúde e classificar todas as coberturas. Oferece um bom serviço enquanto é utilizada. Portanto, se existe alguma necessidade relacionada com a saúde, é possível perguntar ao Healthee, que oferecerá toda a informação sobre as coberturas do seguro e todas as soluções mais rápidas para seu gerenciamento. Ajudará, por exemplo, no caso de agendar uma consulta ou na compra de medicamentos. Tudo é automaticamente gerenciado.

E por último, mas não menos importante, a quarta é Emnotion, uma ótima tecnologia que pode ajudar em situações climáticas críticas com seis meses de antecipação, sabendo se haverá muita neve ou se acontecerá uma enchente após esse tempo. Ela pode ajudar no setor segurador para antecipar e prevenir. É um pequeno resumo de quatro das 15 que temos. Há muitas ferramentas excelentes e mais por vir!

Qual é o papel desempenhado por Israel em inovação?

Muitas pessoas dizem que Israel é uma das capitais das insurtechs do mundo, e como há muitas startups e temos muitas histórias de sucesso em nosso ecossistema, é possível encontrar excelentes empresas que começaram aqui, como Lemonade ou Hippo. Todas estas fantásticas empresas são startups das insurtechs israelenses, por isso temos grande sucesso aqui e podemos dizer que Israel, juntamente com outros países, lidera o setor das insurtech.

 

E por que a inovação se destaca mais neste país do que no resto? Quais são os ingredientes desta receita?

A receita tem como ingrediente principal os empreendedores, que possuem uma ambição importante e participam. As pessoas são a base da receita e, certamente, houve algumas grandes histórias de sucesso que impulsionaram estes empreendedores a focar nas soluções insurtech. Com bons empreendedores, capital e casos de sucesso já temos a receita para alcançar grandes conquistas no ecossistema. E também porque Israel é um “país startup” e ajuda estas empresas a encontrarem uma boa infraestrutura para começar.

O setor segurador precisa de mudanças para se atualizar e adaptar às novas necessidades sociais, empregando as novas tecnologias para melhorar seus serviços, sendo mais eficientes e, em resumo, reinventar-se. Inovar é ajudar nossos clientes a conseguir seus objetivos, oferecendo uma experiência ágil, próxima, humana e de qualidade. Em suma, na MAPFRE inovamos por um presente melhor que dê lugar ao futuro que merecemos.

 

ARTIGOS RELACIONADOS: