MAPFRE
Madrid 2,182 EUR 0,01 (0,46 %)
Madrid 2,182 EUR 0,01 (0,46 %)

ECONOMIA| 09.07.2024

Espanha é um dos países com maior potencial de crescimento do setor segurador graças à transformação demográfica

Thumbnail user

Ela está na posição 35 entre 179 países, de acordo com o Indicador de Potencial Segurador da MAPFRE Economics

  • A extensão da expectativa de vida na Espanha e a diminuição da força de trabalho elevam a demanda por serviços de saúde, economia privada e planos de aposentadoria.
  • China, Índia e Estados Unidos estão na liderança do ranking global do Indicador de Potencial Segurador por Impulso Demográfico (IPAID).
  • As maiores economias da Europa se encontram acima da metade da tabela, com destaque para Alemanha (posição 20), Reino Unido (22), França (23), Itália (30), todas em melhores posições do que a Espanha.
  • O estudo “Demografia: Uma análise de seu impacto na atividade seguradora”, realizado pela MAPFRE Economics em colaboração com a Fundación MAPFRE, analisa como as mudanças demográficas influem na economia em diferentes países.

A Espanha se posiciona como um dos países com maior potencial de crescimento e desenvolvimento no mercado segurador, de acordo com o Indicador de Potencial Segurador por Impulso Demográfico (IPAID), que coloca a Espanha na posição 35 entre 179 países, representando 98% da população mundial. O indicador avalia a capacidade de crescimento e desenvolvimento do mercado segurador com base nas oportunidades derivadas do processo de evolução demográfica e de renda per capita, e destaca que na Espanha existe um cenário muito positivo para o setor de seguros devido à necessidade de atender à demanda dos cidadãos em matéria de saúde e economia. 

São algumas das conclusões do estudo “Demografia: Uma análise de seu impacto na atividade seguradora”, realizado pela MAPFRE Economics em colaboração com Fundación MAPFRE, e que destaca que as mudanças que estão ocorrendo atualmente na estrutura populacional mundial influem diretamente no desenvolvimento da economia, e mais especificamente, na atividade seguradora, principalmente por sua incidência direta em áreas como a saúde, a economia privada e o setor automobilístico e imobiliário, entre outros.

Espanha: maior pressão em saúde e pensões

Os baixos índices de natalidade e mortalidade na Espanha originaram um processo de envelhecimento populacional acentuado. Pessoas com menos de 25 anos representam apenas 23,8% do total da população e estima-se que, até 2045, este valor continue diminuindo até chegar a 19,2%. Além disso, a expectativa de vida na Espanha subiu, posicionando-se acima das economias mais avançadas, com 84,2 anos em 2024 e 86,8 em 2045. Segundo o estudo, esta transição para uma sociedade mais amadurecida, em que se reduz a força de trabalho, está aumentando na Espanha a pressão sobre os sistemas de saúde e pensões, provocando assim uma maior demanda de produtos e serviços de seguros.

O relatório destaca, ainda, que quanto maior é a proporção de pessoas com 65 anos ou mais e maior é o nível de PIB per capita, maior é também a capacidade de crescimento dos gastos em saúde, um dado que sem dúvida favorece o desenvolvimento dos seguros privados de saúde, como complemento à cobertura de saúde pública, e o crescimento da economia privada, como complemento aos sistemas de aposentadoria públicos, à medida que um maior porcentual da população vê mais próxima a idade de aposentadoria. Nesta linha, o relatório aponta que o PIB per capita de um país apresenta uma alta correlação com a demanda de produtos e serviços seguradores, elevando o potencial do mercado espanhol de seguros.

Pelo contrário, o potencial de crescimento demográfico de pessoas maiores de 24 anos na Espanha se situa na faixa médio-baixa, o que reduz o potencial do mercado imobiliário, embora, segundo o relatório, esse baixo potencial possa ser parcialmente compensado pelo aumento do número de lares devido à redução do tamanho médio das famílias.

China e Índia lideram o ranking

China, Índia e Estados Unidos lideram o ranking de potencial segurador por impacto demográfico. No caso específico da China e Índia, o fator que mais contribui para esta posição é o peso populacional, que compensa a menor contribuição atual de seu PIB per capita e suas perspectivas de crescimento. Nos Estados Unidos, a maior contribuição provém do nível de renda PIB per capita, das perspectivas de crescimento dos gastos em saúde e do fato de haver boas perspectivas de crescimento da população acima de 24 anos para as próximas duas décadas. De acordo com o estudo, este último fator influirá em forma direta na expansão de seu parque imobiliário e, consequentemente, no desenvolvimento dos seguros de lar e vida risco associados ao crédito hipotecário.

Também ressalta que as maiores economias da Europa estão em um nível médio-alto de IPAID, ocupando, inclusive, posições superiores à da Espanha. É o caso da Alemanha (posição 20), Reino Unido (22), França (23) e Itália (30), países com valores altos em relação à estimativa de crescimento de sua economia privada, gastos em saúde e nível de PIB per capita.

Neste grupo de alto potencial também se encontram outros países como Japão (19) pelo seu maior potencial por peso populacional, renda per capita e gastos em saúde, Canadá (27), pelo seu peso demográfico e renda per capita, Colômbia (32) e Argentina (38), cujos respectivos pesos demográficos elevam seu potencial para os seguros de economia e saúde; ou Peru (44), que apresenta uma posição relativamente mais equilibrada de seus indicadores parciais, o que o eleva sua posição relativa a um nível de potencial médio-alto.

As regiões que apresentam maior potencial de crescimento da economia privada são América do Norte, Europa e Austrália, enquanto as que têm maior crescimento dos gastos em saúde per capita são Estados Unidos, Europa, Austrália e China. 

Você pode baixar o relatório completo em (versão em espanhol):

https://www.mapfre.com/mapfreeconomics/estudios/