Madrid 1,796 EUR 0,02 (+1,3 %)
SUSTENTABILIDADE| 21.03.2022

As florestas, os pulmões do planeta

 

Thumbnail user
Em 21 de março é comemorado o Dia Internacional das Florestas e na MAPFRE queremos reivindicar seu inestimável valor para a vida de todas as espécies.
As florestas, embora cubram pouco mais de 30% da superfície terrestre, são o habitat de 75% da biodiversidade terrestre, segundo o relatório SOFO (2020) [1].

As florestas são os pulmões do planeta

O que isso implica? Implica que milhões de pessoas, animais e vegetais dependem do futuro das áreas de floresta, que são cada vez mais afetadas pelo desmatamento e pelo aquecimento global. Infelizmente, as florestas continuam sendo ameaçadas por ações para transformá-las em terras agrícolas e também por níveis insustentáveis de exploração, grande parte dela ilegal. Portanto, a conservação da biodiversidade depende, em grande medida, da forma em que interagimos com as florestas.

O que significa compensar a pegada ambiental e como as empresas o fazem?

A degradação das florestas e o desmatamento continuam a um ritmo alarmante. Desde 1990, estima-se que 420 milhões de hectares de florestas foram perdidos devido a mudanças no uso da terra, embora a taxa de desmatamento tenha diminuído nos últimos trinta anos. A expansão agrícola continua sendo a principal causa de desmatamento e da perda de biodiversidade.

Como resultado de todas as nossas atividades e de nosso trânsito no planeta, deixamos uma pegada, em particular uma pegada de carbono devido à emissão de gases do efeito estufa (GEE). As organizações estão, portanto, procurando formas de compensar o impacto ambiental que geram. E como elas fazem isso?

Uma das formas pelas quais as empresas podem compensar sua pegada é através do reflorestamento, que consiste em replantar áreas desmatadas para restaurar as florestas recentemente destruídas. Diante da perda de grandes áreas florestais que são vitais para a absorção de CO2, há necessidade de plantar novas árvores. O objetivo deste plantio é evitar a perda de ecossistemas e retardar a deterioração de nosso planeta, contribuindo ao mesmo tempo para o desenvolvimento sustentável.

BOSQUES

Quantas árvores é preciso plantar para poder compensar nossas emissões de CO2?

Como mencionávamos acima, as árvores absorvem o CO2 e ficam com o carbono da molécula. Elas o utilizam na forma de carboidratos em seus processos metabólicos para crescer, ajudando a remover o excesso de CO2 da atmosfera. Assim, uma árvore adulta pode compensar entre 21 e 30 kg de CO2 por ano dependendo de sua espécie. Se observarmos, por exemplo, que um único voo ida e volta entre Londres e Roma emite um mínimo de 500 kg de CO2 por passageiro, podemos ter uma ideia da importância de cuidar de nossas florestas para compensar nossa pegada.

As árvores que sequestram mais carbono são as que estão crescendo, portanto, as massas florestais mais jovens são as mais eficazes na remoção de CO2.

Conheça a Floresta MAPFRE

O conceito de Floresta MAPFRE é criado com o objetivo de cumprir o plano definido na Estratégia Corporativa de Compensação de emissões de GEE, cujo objetivo final é alcançar a neutralização da pegada de carbono do grupo para 2030.

 

  • A Floresta MAPFRE Real cobre os reflorestamentos tradicionais, com o objeto de recuperar áreas degradadas e que podem estar associadas ou não à compensação dos GEE. Esta iniciativa começa em 2021, com a primeira neutralização da pegada de carbono da atividade da MAPFRE na Espanha e Portugal, que será seguida por outras ações nas florestas da Espanha, como o reflorestamento do Parque Nacional de Doñana, entre outras. 
  • A Floresta MAPFRE Virtual é desenvolvida no sharepoint corporativo e é projetada para conscientizar os funcionários sobre o impacto do desmatamento da impressão mensal do papel nos escritórios Desta forma, estando cientes dos recursos que estão sendo gastos, eles serão capazes de aumentar a conscientização e trabalhar para reduzi-los.

Projetos de reflorestamento da MAPFRE

Em 2021, criamos o projeto ‘Floresta MAPFRE’ para englobar todas as nossas ações de reflorestamento, visando preservar a biodiversidade, o capital natural e criar sumidouros de carbono nas áreas onde realizamos nossa atividade.

Nosso compromisso se materializou em diferentes projetos florestais na Espanha e Portugal, como o recente projeto de reflorestamento realizado na montanha de Borela (Galícia), que foi devastada pelos incêndios em 2016, 2017 e 2020. Nossa colaboração com a empresa CO2 Revolution permitiu a recuperação da massa de árvores com vegetação nativa, graças a meios tecnológicos e também combinados com os métodos tradicionais de plantio.

Recentemente, plantamos um total de 4.874 árvores no município de Cerdedo-Cotobade, em Pontevedra, e outras 1.667 no Parque Natural Sintra-Cascais, no norte de Portugal. Com estes projetos, contribuímos para repovoar quase 5 hectares de áreas afetadas pelo desmatamento e para estas mais de 6.500 novas árvores absorvendo 4.000 toneladas de CO2 da atmosfera, neutralizando assim 21% das emissões emitidas pela empresa nestes dois países.

Os projetos da Floresta MAPFRE permitem promover ações de voluntariado corporativo e aumentar a conscientização sobre a proteção ambiental. Todos os anos envolvemos todos os funcionários no plantio de árvores e na limpeza de espaços naturais em países como Espanha e Portugal, mas também em outros, como Argentina, Brasil, Costa Rica, EUA, México e Porto Rico. No México, em particular, os voluntários neste país reflorestaram 1 hectare no ano passado, e no Brasil, eles plantaram 1.200 árvores em uma área de interesse ambiental através do projeto Amigos da Floresta.

BOSQUES

Por que é importante compensar a pegada através do reflorestamento?

As árvores são sumidouros naturais de CO2, isto é, são reservatórios naturais de CO2, o que tem um grande impacto sobre o ar que respiramos. Estima-se que as florestas na Espanha são responsáveis pela captura de 20% do presente na atmosfera e é por isso que o reflorestamento se torna uma alavanca vital contra o aquecimento global e a proteção da diversidade.

É cada vez mais reconhecido o papel das florestas no desenvolvimento sustentável. Além disso, seu valor é inestimável e vai muito além de melhorar a qualidade do ar que respiramos. Elas também são uma fonte de vitalidade e são fundamentais para nosso bem-estar psicológico, pois a natureza está associada a uma maior sensação de liberdade e bem-estar.

Por ocasião do Dia Internacional das Florestas, queremos promover iniciativas como a Floresta MAPFRE para reverter a perda de áreas florestais e de biodiversidade, em benefício de todas as gerações, presentes e futuras. Além de demonstrar nosso compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS 13 e ODS 15), que são tão importantes para o futuro de nosso planeta.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

 

https://www.mapfre.com/pt-br/actualidade/sustentabilidade/impacto-ambiental/

https://www.mapfre.com/pt-br/actualidade/sustentabilidade/alimentacao-sustentavel-pegada-carbono/

https://www.mapfre.com/pt-br/actualidade/sustentabilidade/bosques-comestibles/

https://www.mapfre.com/pt-br/actualidade/sustentabilidade/enrique-segovia-wwf/

https://www.mapfre.com/pt-br/actualidade/sustentabilidade/amazonas-sustentavel/

https://www.mapfre.com/pt-br/actualidade/sustentabilidade/portugal-mudancas-climaticas/

 

[1] FAO e PNUMA 2020. O estado das florestas no mundo 2020. As florestas, a biodiversidade e as pessoas. Roma. https://doi.org/10.4060/ca8642es