Madrid 1,828 EUR 0,02 (0,91 %)
ZoomTalento Prensa

5
continentes

 

34.000
colaboradores

Publicação de resultados 1T 2021
29 de abril de 2021

Consulte a documentação financeira publicada

Assumimos a parte que nos interessa no desenvolvimento sustentável

Trabalhamos com conhecimento e reflexão para criar debate público

M
SUSTENTABILIDADE| 12.04.2021

Se o desperdício de alimentos fosse um país, seria a terceira maior fonte de efeito estufa

Thumbnail user
Todos os anos, produzimos mais de 930 milhões de toneladas de alimentos que acabam no lixo. Temos de tomar medidas para deter o desperdício alimentar, em especial devido ao seu sério impacto ambiental: 8 a 10% das emissões globais de gases do efeito estufa provêm de alimentos que não são consumidos. Paralelamente, a pandemia coloca muitas famílias em risco em todo o planeta. Será que podemos nos dar ao luxo de jogar fora toneladas de alimentos enquanto há famílias que passam fome?
O primeiro relatório da ONU sobre o índice de desperdício alimentar estima que são jogados fora anualmente 931 milhões de toneladas de alimentos, dos quais quase 570 milhões de toneladas são produzidas em casa. O desperdício de alimentos está estreitamente ligado à crise climática, mas constitui também um fardo importante para os sistemas de gestão de resíduos e provoca situações de insegurança alimentar. Para resolver este problema, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 12.3 visa reduzir para metade o desperdício alimentar até 2030.

Sabemos que, todos os anos, dos 931 milhões de toneladas de alimentos que acabam no lixo:

  • 61% provêm dos lares,
  • 26%, da indústria alimentar
  • e 13%, do comércio.

Nesse sentido, o relatório revela um dado surpreendente: a média mundial de alimentos desperdiçados todos os anos (74 kg per capita) é semelhante, por diversas razões, nos países de rendas baixas, médias e altas. Em outras palavras: a maioria dos países tem uma margem de melhoria significativa.

E podemos fazer muito mais. Precisamos, por exemplo, abordar o papel do consumidor. Vamos comprar de forma consciente, cozinhar com criatividade e fazer o desperdício de alimentos ser socialmente inaceitável, ao mesmo tempo que continuamos a nos esforçar para fornecer dietas saudáveis e sustentáveis para todos.

 

O paradoxo da comida: famílias com fome e alimentos que são jogados no lixo

Há alimentos que são descartados por motivos econômicos, estéticos ou devido à proximidade da data de validade, mas que estão perfeitamente comestíveis. Vamos procurar uma utilização alternativa para que esses alimentos não acabem no lixo.

Por outro lado, a pandemia continua causando estragos nas economias de todo o planeta. Somente na Espanha, os pedidos de ajuda de famílias vulneráveis aumentaram 60%, segundo dados da Cáritas. A Covid-19 ameaça empurrar nada menos que 700.000 pessoas para a pobreza na Espanha, segundo informa a Intermón Oxfam.

A Fundação Altius se propôs a dar um fim a esse paradoxo da fome e do desperdício alimentar, pelo menos na Espanha. O programa 1 quilo de ajuda propõe a redistribuição de alimentos para famílias necessitadas, contribuindo também para a redução dos resíduos e da poluição.

Este projeto é possível graças a uma ampla rede de solidariedade, que inclui voluntários da MAPFRE, entre empresas doadoras, empresas de logística, voluntários e equipes de gestão na entidade social para distribuir ajuda a famílias derivadas por Serviços Sociais. Graças a esse programa, a recuperação de alimentos em 2020 representou quase 80% dos alimentos entregues às famílias.

 

 

A missão da fundação é transformar a vida das pessoas em situação de exclusão por falta de emprego por meio do acompanhamento integral, atuando em três áreas básicas:

  • Suporte na cobertura das necessidades básicas de alimentação familiar.
  • Treinamento para o emprego.
  • Itinerários personalizados de inserção profissional.

 

Assumimos a parte que nos toca

A transição em direção a uma economia circular é um dos principais desafios globais e daria uma resposta a muitos problemas associados à crise climática, incluindo o desperdício de alimentos.

Na MAPFRE, criamos uma linha e um grupo de trabalho específicos sobre economia circular, explicados no Plano de Sustentabilidade 2019-2021, para abordar esse tema a partir de uma perspectiva interna e de negócios.

 

Temas relacionados:

https://www.mapfre.com/pt-br/actualidade/economia-pt-br/caminho-do-modelo-economia-circular/

https://www.mapfre.com/pt-br/actualidade/sustentabilidade/alimentacao-sustentavel-protagonista-greenweekend-espanha/