Madrid 1,7985 EUR -0,02 (-0,96 %)
ZoomTalento Prensa

5
continentes

 

34.000
colaboradores

Assumimos a parte que nos interessa no desenvolvimento sustentável

Trabalhamos com conhecimento e reflexão para criar debate público

M
SUSTENTABILIDADE | 06.10.2020

Repensando a economia: a caminho do modelo circular

Thumbnail user
Avançar em direção a uma economia circular é um dos principais compromissos do Pacto Verde Europeu. Este modelo contrasta com o da economia linear e se baseia na reutilização de materiais e recursos para que se mantenham no ciclo econômico durante a maior parte do tempo possível.

Somente a União Europeia produz mais de 2,5 milhões de toneladas de resíduos por ano. Este número dá uma ideia da urgência de avançar em direção a uma gestão de resíduos circular em substituição ao modelo linear atual. Mas o que é a economia circular? Quais mudanças devem ser feitas no modelo produtivo e de consumo para reduzir drasticamente a geração de resíduos?

 

Economia circular: definição, importância e objetivos

A economia circular é um modelo de produção e de consumo que se baseia em reutilizar, reparar, renovar e reciclar materiais e recursos quantas vezes seja possível.

O objetivo do modelo é reduzir ao mínimo a geração de resíduos. Para isso, deve-se manter os materiais dentro do ciclo produtivo e de consumo durante o máximo de tempo possível.

Difere do modelo econômico linear que vivemos, que se baseia principalmente no conceito de “usar e jogar fora”, e que implica no uso de enormes quantidades de material e energia.

Avançar para uma economia mais circular traz grandes benefícios, e entre os destacados pelo Parlamento Europeu estão:

  • reduzir a pressão sobre o meio ambiente
  • mais segurança no abastecimento de matérias primas
  • maior competitividade
  • estímulo da inovação
  • criação de postos de trabalho

Por que temos de mudar para uma economia circular?

O principal motivo para progredir para uma economia circular é o impacto no meio ambiente do nosso atual modelo de produção e consumo. O uso de matérias-primas necessárias para sustentar a economia linear tem graves consequências ambientais, como grande consumo energético ou a grande quantidade de emissões contaminantes. Ao usar moderadamente esses recursos é possível conseguir uma economia significativa nas emissões de dióxido de carbono.

Outro motivo importante é a impossibilidade de manter um aumento da demanda de matérias-primas. Enquanto a população mundial e o consumo continuam crescendo, sabemos que a disponibilidade de recursos é limitada.

Quais são os benefícios da economia circular?

De acordo com um relatório do Parlamento Europeu, medidas como a redução de resíduos, o design ecológico e o reúso “poderiam proporcionar economias líquidas de 600 bilhões de euros, ou um 8% do volume de negócios anual para as empresas da UE, ao mesmo tempo que reduziriam as emissões totais anuais de gases do efeito estufa entre 2 e 4%”.

O relatório aponta que mudar para uma economia circular não somente reduziria o impacto ambiental, mas também permitiria um acesso mais seguro a matérias-primas, um estímulo à inovação e se traduziria em crescimento econômico e criação de empregos para a UE (até 580 mil novos postos de trabalho).

Do ponto de vista do consumidor, isso implicaria em produtos mais resistentes e duráveis, que podem representar uma economia importante a longo prazo. Quem nunca comprou uma blusa que foi para o lixo antes do fim da estação? A economia circular representa acesso a produtos de um preço mais alto, mas por outro lado a qualidade e durabilidade são muito superiores.

No que consiste a economia circular?

A economia circular se apoia no conceito de ecoconcepção, que consiste em considerar os impactos ambientais de um produto desde a sua concepção e ao longo das diferentes fases da vida e uso dele.

Outro pilar deste modelo é o de privilegiar o uso em vez da posse. Um exemplo básico é o auge de soluções de compartilhamento de carros elétricos nas principais cidades europeias.

Como o objetivo é manter no círculo econômico os recursos pelo maior tempo possível, a economia circular aposta pelos famosos “3 R”:

  • reduzir o consumo, arrumando os produtos quebrados/estragados
  • reutilizar resíduos para a elaboração de novos produtos
  • reciclar os materiais que não podem ser reutilizados

Por último, a economia circular em um modo de organização industrial que prioriza a otimização dos fluxos de materiais, energia e serviços.

Urbanismo circular ou como desenhar cidades mais amáveis e sustentáveis

Na atualidade, mais da metade dos cidadãos do mundo vivem em grandes cidades. Esta porcentagem pode subir até 70% em 2050, de acordo com previsões das Nações Unidas. Por isso, é razoável esperar que grande parte dos esforços de reutilização dos recursos foque nos grandes centros urbanos.

O urbanismo circular consiste em aplicar os fundamentos da economia circular a um planejamento urbano. O objetivo seria passar para cidades que façam parte de ecossistemas circulares. Para isso, é preciso redesenhar os processos de tratamento de resíduos, abastecimento energético ou de água com o objetivo de colocar em foco sua reutilização.

Revisar os processos produtivos e de consumo para conseguir que os recursos se mantenham durante o máximo de tempo possível na economia é um objetivo compartilhado entre a economia circular e o urbanismo sustentável. Um dos pontos marcados pelo Pacto Verde Europeu é estimular a reciclagem de resíduos, aumentando significativamente a porcentagem de materiais recuperados e reduzindo a quantidade de aterros de lixo.

Projetar cidades mais sustentáveis não terá impacto somente na qualidade de vida dos habitantes, mas um relatório das Nações Unidas destaca também que “compreender como se desenvolverá o processo de urbanização nos próximos anos será fundamental para cumprir com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”.

Mentalidade circular também nas empresas

O automóvel também pode ser reutilizado ou reciclado. Por isso, na MAPFRE contamos com a Cesvi Recambios, nosso Centro de Tratamento de Veículos Fora de Uso. Desde o começo da sua atividade, já reciclou mais de 44 mil veículos.

Também realiza a descontaminação de produtos nocivos, como baterias e fluídos do veículo. Além de recuperar todos os materiais do carro, devolvendo ao início do ciclo de vida de, pelo menos, 85% dos componentes.

A Cesvi Recambios desmontou mais de 1.500.000 peças, oferecendo a indivíduos e oficinas um fornecimento de peças de reposição de qualidade, a um bom preço e com garantia.