MAPFRE
Madrid 2,216 EUR -0,02 (-1,07 %)
Madrid 2,216 EUR -0,02 (-1,07 %)

SUSTENTABILIDADE| 24.07.2023

Créditos de carbono: o sistema para reduzir as emissões de gases do efeito estufa

Thumbnail user

A mudança climática é uma realidade que devemos enfrentar juntos. Chegou a hora da descarbonização e todas as empresas do mundo devem adotar medidas para contribuir com o cuidado do planeta.

Os mercados de carbono, também conhecidos como mercados de direitos de carbono ou mercados de emissões, são sistemas projetados para reduzir as emissões de gases do efeito estufa e combater a mudança climática. Eles funcionam por meio da criação de um valor econômico para as reduções das emissões de carbono.

Nesses mercados, países, empresas ou entidades que emitem gases do efeito estufa recebem uma alocação de direitos de emissão, que representam uma determinada quantidade de emissões permitidas. Estes direitos podem ser comprados, vendidos ou transferidos entre as partes que participam no mercado. Se uma entidade tiver excedentes de direitos de emissão por ter reduzido suas emissões, ela pode vender esses excedentes a outras entidades que precisem de mais direitos para cumprir seus objetivos de redução de emissões.

A ideia fundamental por trás dos mercados de carbono é criar uma estratégia baseada em incentivos econômicos para abordar a mudança climática. Dessa forma, ações por parte de empresas e todo tipo de entidades são impulsionadas para avançar na redução de emissões de gases do efeito estufa. Ao estabelecer um preço para as emissões de carbono, ele cria um mecanismo para internalizar os custos ambientais das emissões e promover a adoção de tecnologias mais limpas e a implementação de medidas de eficiência energética. Além disso, os mercados de carbono podem facilitar a transferência de tecnologia e conhecimentos entre países e encorajar a cooperação internacional para reduzir as emissões a nível global.

Compensar, neutralizar ou reduzir a pegada de carbono?

Embora à primeira vista possam parecer os mesmos conceitos, a realidade é que cada um tem uma abordagem e significado ligeiramente diferentes:

Compensar a pegada significa adotar medidas para equilibrar as emissões dos gases do efeito estufa geradas por uma entidade, como empresas ou pessoas, mediante o financiamento de projetos que reduzem ou eliminam emissões em outro lugar. Estes projetos geralmente estão ligados a energias renováveis, eficiência energética, reflorestamento ou captura e armazenamento de carbono. Ao compensar a pegada, procura-se contrabalançar as próprias emissões investindo em ações de redução em outros locais, permitindo alcançar um equilíbrio entre as emissões geradas e as reduzidas.

Neutralizar a pegada é compensar as emissões de gases do efeito estufa mediante a eliminação ou captura de uma quantidade equivalente de carbono da atmosfera. Isto pode ser alcançado através de projetos de captura de carbono, como a plantação de árvores ou implementação de tecnologias de captura e armazenamento de carbono. O objetivo é atingir um equilíbrio líquido entre as emissões geradas e as retiradas da atmosfera, de modo que não haja impacto adicional sobre a mudança climática.

Reduzir a pegada envolve a adoção de medidas para diminuir diretamente as emissões de gases do efeito estufa geradas por uma entidade. Procura-se implementar ações e estratégias para reduzir o consumo de energia, melhorar a eficiência, adotar tecnologias mais limpas, promover a mobilidade sustentável e outras práticas que minimizem as emissões. O objetivo é reduzir a quantidade total de emissões geradas, o que significa mudanças nos processos, comportamentos e tecnologias utilizados pela entidade.

Como fazemos isso na MAPFRE?

A descarbonização não é apenas uma opção, mas uma realidade para muitas empresas que buscam ser neutras em carbono, como a MAPFRE, um desafio que implica em conhecer sua pegada de carbono atual e identificar estratégias em curto, médio e longo prazos para reduzir e compensar a parte que pode ser eliminada.

Vamos explicar o que fazemos para reduzir nossas emissões e contribuir para o objetivo do Acordo de Paris: não chegar aos dois graus de aumento médio da temperatura do planeta.

Com economia de energia: Em 2022, reduzimos nosso consumo de energia em 12% a menos que em 2019 (ano base), um valor que excede o objetivo previsto de redução de 3%, e que foi possível graças à implantação de modelos híbridos de trabalho, otimização de espaços de trabalhos, investimento em eficiência energética e renovação das frotas de automóveis para motores ECO e mais eficientes. Graças a esta redução no consumo, evitamos a emissão de 4.095 Tm de CO2e à atmosfera.

Com energias limpas: Utilizamos energia procedente de fontes 100% renováveis na Espanha e em outros países, e instalamos painéis fotovoltaicos com maior potência na sede social, em Madri, que permitem gerar 3,34 GWh elétricos por ano. Com esta medida, esperamos que este ano 40% do consumo atual na sede social venha da instalação de autoconsumo fotovoltaico.

Com projetos de compensação: A MAPFRE plantou, pelo segundo ano consecutivo, 4.874 árvores em Pontevedra e outros 1.667 em Portugal. Também participou de um projeto de “desmatamento evitado” no Peru, que visa a proteger uma grande extensão intacta de floresta para evitar seu desmatamento. Com os projetos realizados em Espanha e Portugal, contribuímos para repovoar quase 5 hectares de áreas afetadas por incêndios e que essas mais de 6.500 novas árvores absorvam 4.000 toneladas de CO2e da atmosfera. Com o que foi realizado no Peru, compensamos um total de 13.294 toneladas de CO2e. Todas estas iniciativas fazem parte da “Floresta MAPFRE”, que engloba nossas ações de reflorestamento e que visam preservar a biodiversidade e o capital natural, bem como criar reservatórios de carbono e neutralizar parte de sua pegada.

Com conscientização: inauguramos recentemente nossa “Floresta Virtual”, onde os funcionários conhecem o uso diário de energia, toner e papel, e como contribuem a reduzi-lo. O projeto permite explicar que a cada tonelada de papel que deixamos de imprimir, evitamos a derrubada de até 20 árvores, o consumo de 7.000 kWh e de 5.000 litros de água.

Com produtos verdes: Gama Cambio é o novo seguro para veículos elétricos e híbridos da MAPFRE, e outros produtos da Iberdrola 100% renováveis, que comercializamos por meio de nossa rede de escritórios.

Com compromissos: nós nos comprometemos oficialmente com a neutralidade de carbono nos principais países até 2024 e em todos aqueles em que estamos presentes até 2030.

Com critérios ASG de investimento  e na assinatura: não investimos nem seguramos empresas com 30% ou mais da receita proveniente de energia produzida com carvão.

Na MAPFRE cuidamos do que é importante para você e, por isso, tomamos medidas para acelerar a transição energética e avançar na luta contra a mudança climática.

 

ARTIGOS RELACIONADOS: