MAPFRE
Madrid 2,13 EUR -0,01 (-0,37 %)
Madrid 2,13 EUR -0,01 (-0,37 %)

SEGUROS| 09.02.2024

O subscritor de riscos, o ponto de equilíbrio entre as necessidades do cliente e a rentabilidade do negócio

Thumbnail user

Existe um profissional que se ocupa de avaliar os riscos de um seguro, buscando o equilíbrio entre garantir as necessidades do cliente e a rentabilidade do negócio. É o subscritor de riscos, uma função em alta no ambiente digital.

Com o lema “Reconstruir a confiança”, a última reunião do Fórum Econômico Mundial (WEF 2024), realizada em Davos (Suíça), voltou a unir governos, empresas e membros da sociedade civil para buscar soluções para os problemas globais.

Junto a questões como a necessidade urgente de segurança e cooperação em um mundo fraturado, a transição energética, a disrupção da inteligência artificial, também surgiu outro assunto de vital importância: a criação de emprego na nova era. O livro branco, publicado pelo próprio Fórum e a colaboração de Capgemini, coloca a profissão de subscritor de riscos seguradores entre os 17 empregos mais bem pagos e sem fronteiras até 2030.

Mas o que há por trás do processo de assinatura de um seguro e desta pessoa?

Fases do processo

Quando um potencial cliente vai a uma companhia de seguros para a contratação de um produto, as seguradoras ativam um processo de análise e avaliação do grau de risco associado à apólice, uma função realizada pelos subscritores de seguros.

Sua missão, segundo Ángela Jiménez Escobar, subscritora da MAPFRE Global Risks, é "brindar soluções seguradoras para uma adequada aceitação de riscos, compilando e avaliando a informação suficiente para estabelecer os prêmios do seguro de acordo com as políticas vigentes, apoiando-se em seu próprio critério, sua experiência e conhecimento do mercado, e utilizando as ferramentas atuariais e estatísticas disponíveis ".

Esta tarefa pode variar de acordo com o produto e sua complexidade. Em geral, para Vanesa Sánchez Conejero, subscritora sênior da MAPFRE Global Risks, este profissional "realiza uma pré-análise de negócio com o objetivo de determinar se cumpre com o modelo de negócio e o risco que a seguradora está disposta a assumir. Se for o caso, o subscritor continua com a análise da subscrição, um processo padronizado para cada área ou ramo, sujeito a normas de cumprimento obrigatório e é responsabilidade do subscritor que sejam cumpridas ".

Durante o procedimento, além de estudar e avaliar o tipo de cliente, sua relação com a companhia e o negócio, etc., são levados em consideração outros parâmetros como a sinistralidade, a legislação e as normas vigentes, estatísticas, etc. Uma vez calculado o risco que significa segurar o cliente, cede-se ao contrato.

Mas também pode acontecer que, após avaliar os riscos potenciais associados ao seguro, sua subscrição seja descartada de acordo com a normativa, os critérios técnicos e os limites de subscrição autorizados, entre outros.

Função-chave

O papel do subscritor, portanto, é fundamental dentro das companhias de seguros na hora de estabelecer o ponto de equilíbrio entre as demandas do cliente e a rentabilidade do negócio, mediante a análise dos riscos. Também pode:

  • Dar suporte à rede comercial, resolvendo suas dúvidas sobre coberturas, por exemplo, e apoio a outros departamentos de operações.
  • Realizar um acompanhamento durante a vigência do contrato para detectar possíveis mudanças no risco.
  • Utilizar sua experiência para fazer recomendações à sua própria seguradora e garantir que a cobertura se ajuste ao nível de risco adequado.

Que perfil devem reunir então estes profissionais para realizar suas funções com soltura e eficácia?

Perfil do subscritor

A lista pode ser ampla, mas no mínimo os subscritores devem possuir um sólido conhecimento técnico e manter-se atualizados com as últimas tendências em seguros e regulações.

Não há dúvidas de que são especialistas em análise e seleção de riscos, baseando-se em uma variedade de fatores, e possuem excelentes capacidades de pesquisa e classificação.

Certamente, devem ser capazes de tomar decisões informadas e justas, baseadas em critérios objetivos, e de trabalhar sob pressão em um ambiente de ritmo rápido, bem como de ser excelentes comunicadores para transmitir as decisões tomadas que, às vezes, podem ser sensíveis.

Portanto, para desempenhar esta função, o subscritor é chamado a contar com uma série de habilidades e competências técnicas, analíticas, comunicativas e éticas, que lhe permitirão avaliar adequadamente os riscos e tomar decisões que beneficiem tanto a companhia seguradora como os clientes.

Nossa contribuição

As novas tecnologias apoiam o trabalho diário do subscritor. De acordo com Vanesa Sánchez Conejero, são necessárias para uma subscrição mais precisa". Além disso, reduzem os tempos neste processo, aumentando a satisfação dos clientes.

Ángela Jiménez Escobar também tem claras vantagens. "A automatização no processo de subscrição nos levou a ser mais ágeis em nosso trabalho, melhorando a coerência na aceitação de riscos ".

Na MAPFRE, contribuímos para esta profissão de futuro – como confirmou o último fórum de Davos – colocando à disposição dos nossos profissionais ferramentas e soluções tecnológicas que promovem a agilidade e o trabalho remoto, pensando ao mesmo tempo em oferecer ao cliente um serviço eficiente a partir do momento da contratação do seguro.

Você já conhece o ofício de subscritor de seguros. Compartilhe, agora, este emprego com boas perspectivas!

 

ARTIGOS RELACIONADOS: