Madrid 1,828 EUR 0,02 (0,91 %)
ZoomTalento Prensa

5
continentes

 

34.000
colaboradores

Publicação de resultados 1T 2021
29 de abril de 2021

Consulte a documentação financeira publicada

Assumimos a parte que nos interessa no desenvolvimento sustentável

Trabalhamos com conhecimento e reflexão para criar debate público

M

SAÚDE| 15.01.2021

Os desafios do confinamento e do trabalho remoto para a saúde mental

Thumbnail user

Manter o moral e a saúde mental dos funcionários enquanto persistem as restrições de mobilidade impostas pela pandemia, e agora também pela neve, tornou-se uma das principais preocupações das organizações empresariais. 

A publicação britânica Insider Engage descobriu, na reportagem a seguir, algumas das soluções criativas que as empresas vêm explorando para manter seus funcionários felizes e motivados. O artigo inclui o depoimento de Eva Rodríguez, subdiretora de Diversidade, Saúde e Bem-Estar da MAPFRE.

Desde o início da pandemia de COVID-19, muitas empresas mantiveram sua responsabilidade de cuidar dos funcionários, encorajando-os a separar o escritório de casa, seja para acompanhar as crianças ao parque, levar seus animais de estimação para passear, fazer exercícios ou andar de bicicleta.

Eva Rodríguez“Previu-se que longos períodos de reclusão causam problemas psicossociais e ergonômicos”, afirma Eva Rodríguez, subdiretora de Diversidade, Saúde e Bem-Estar da Área Corporativa de Pessoas e Organização da MAPFRE. A empresa, ciente do impacto da situação no bem-estar dos colaboradores, imediatamente elaborou e implementou planos de contingência.

“Dada a preocupação da MAPFRE desde o início, nossos funcionários não tiveram maiores problemas além da dificuldade lógica de conciliar trabalho e cuidados familiares durante o confinamento, especialmente com relação a crianças pequenas ou familiares dependentes”, explicou Eva à revista.

Os empregadores precisarão estar cientes de alguns dos efeitos prazo da situação no longo prazo, não somente no ambiente de trabalho, mas também em um contexto social mais amplo. “Isso está durando muito mais do que o esperado”, admitiu Eva Rodríguez, que destacou o maior risco para a população em idade ativa de “ansiedade, depressão e estresse devido às incertezas”.

A especialista sugere que a forma mais eficaz de reduzir esse risco é criar um ambiente “o mais próximo possível do normal”, respeitando as medidas de saúde e segurança necessárias. O artigo inclui uma lista completa de dez lições aprendidas nos últimos meses:

  1. Os empregadores reconheceram que trabalhar em casa não é o mesmo que não trabalhar.
  2. O horário de trabalho remoto deve ser administrado com cuidado para minimizar a sensação de exaustão.
  3. É preciso respeitar os compromissos não profissionais de outros colegas dentro das jornadas.
  4. E oferecer maior flexibilidade, principalmente no inverno, para facilitar a prática de exercícios físicos.
  5. Uma comunicação constante e variada é a chave para se manter motivado e engajado.
  6. Além de reabrir escritórios, uma opção vantajosa, para quem não tem uma situação favorável em casa com trabalho remoto.
  7. Eventos sociais e redes virtuais são cruciais para conectar e manter o espírito de equipe.
  8. Recursos on-line de bem-estar, programas de cuidados e oportunidades de voluntariado podem promover sensação de bem-estar e de um propósito aos funcionários.
  9. Os programas de treinamento e mentoria on-line são importantes para o funcionário e aumentam a atratividade das empresas.
  10. As políticas de bem-estar e flexibilidade provavelmente se tornarão um elemento obrigatório na maioria das empresas.

As informações indicam que, no período que antecedeu as férias e neste primeiro trimestre de 2021, os desafios para manter os funcionários motivados e cuidando de sua saúde mental mudaram drasticamente.

Acesse o artigo completo aqui.