Madrid 1,86 EUR 0,03 (+1,75 %)
ZoomTalento Prensa

5
continentes

 

34.000
colaboradores

Assumimos a parte que nos interessa no desenvolvimento sustentável

Trabalhamos com conhecimento e reflexão para criar debate público

M

SALUD| 16.11.2020

Coronavírus: como manter o ar do carro limpo e saudável

Marta Villalba

Esteban Viso

A limpeza é um requisito imprescindível na luta contra a pandemia do coronavírus. No âmbito pessoal, a higiene das mãos (limpeza e desinfecção), o uso de máscara e o distanciamento social são as três chaves principais para prevenir o contágio.

Além disso, a limpeza de residências e de instalações públicas, como os veículos de transporte coletivo, bem como os ambientes de trabalho, são fundamentais para minimizar os riscos quando saímos de casa, e o mesmo deve acontecer com a limpeza do carro.

Nesse último caso, não basta somente manter o veículo limpo por fora e por dentro, em todas as superfícies com as quais temos contato direto (como painel, volante, chave do carro, portas, assentos e estofados etc.), mas também ter um cuidado especial com o sistema de ar-condicionado.

O sistema de climatização do carro (ou sistema de ar-condicionado), bem como todos seus dutos, são um foco comum de sujeira. O sistema de climatização pode abrigar bactérias e fungos durante a passagem pelos dutos e, agora, com a COVID-19 pode ser um ponto crítico para a saúde dos passageiros e do motorista.

A pandemia nos ajudou a ter mais consciência da necessidade de manter todos os objetos do dia a dia devidamente higienizados. No caso dos carros, não basta somente estar limpo por dentro e por fora, que é uma situação comum, mas que, de tempos em tempos, seja feita uma limpeza profunda de vários elementos, especialmente do ar-condicionado, ou o climatizador, com a devida desinfecção.

 

Desinfecção do sistema de ar-condicionado

Por sua natureza, o sistema de ar-condicionado faz o ar circular no ambiente, de forma que, se houver a presença de vírus nesse espaço (ou bactérias e fungos) eles serão distribuídos por todo o espaço e todos os ocupantes ficarão expostos. Por isso, é necessário desinfectar os dutos pelo menos a cada 6 meses.

Não é fácil fazer a limpeza nesses sistemas, pois eles ficam em um local de dificil acesso. No entanto, com paciência, tempo e um produto adequado e de qualidade, é possível fazer um bom trabalho sem a necessidade de procurar um centro especializado.

É muito importante destacar a necessidade de utilizar produtos adequados para cada tarefa. Da mesma forma que não se deve usar água sanitária ou produtos semelhantes para limpar as superfícies do interior, como plásticos ou estofado, não se deve utilizar qualquer produto nos dutos de ar.

Passo a passo para a desinfecção

Para começar o processo de desinfecção, primeiro é importante limpar a poeira e a sujeira que ficam grudadas na saída de ar. Pode-se fazer essa limpeza com pincéis de espuma e uma mistura de água morna com vinagre branco. Com esses aparatos, deve-se limpar pacientemente todas as saídas de ar.

O próximo passo antes da desinfecção é secar completamente o carro, ou seja, eliminar o máximo de umidade no ambiente e, principalmente, no circuito interno. Também é possível eliminar a umidade ligando a calefação por alguns minutos na temperatura mais alta. Nesse caso, recomenda-se sair do carro.

duas opções para a aplicação de desinfetantes. Em primeiro lugar, existem frascos com a boca mais comprida, ideais para colocar o produto dentro das saídas do ar-condicionado.

Para a correta aplicação do desinfectante recomenda-se desmontar o filtro de cabine, que deve ser substituído por um novo após o processo, pois é um possível foco de infecção. Após a retirada dos filtros, montamos novamente as tampas. Ao final do processo, são instalados os novos filtros.

Para vedar ao máximo a circulação, devemos ligar a recirculação e fechar todas as saídas de ar. Em seguida, desligar o sistema e abrir somente as saídas centrais (as principais), onde o produto deverá será aplicado, tentando colocá-lo o mais internamente possível. Fecha-se a saída e passa-se para a seguinte, até que todas as saídas de ar estejam cobertas.

Depois, deve-se deixar o produto agir no tempo recomendado pelo fabricante (no máximo meia hora) para o efeito esperado e, então, evaporar o produto. Para isso, liga-se o motor e o ar-condicionado na temperatura mais alta com todas as saídas de ar abertas. Assim, o desinfetante vai evaporar e o processo estará concluído.

Depois de alguns minutos, quando tudo estiver bem evaporado, é necessário ventilar corretamente o carro, abrindo as janelas e deixando o ar externo circular bem (já é possível desligar o motor). Agora, resta montar os filtros novos, e o sistema de ventilação do carro estará desinfectado.

Caso seja usado um produto borrifador, outro tipo disponível no mercado, devem ser seguidas todas as instruções contidas na embalagem. O normal é colocar o produto no interior do carro e ligar o ar-condicionado (sem calefação) no nível máximo, para depois fechar bem as portas e janelas durante o tempo recomendado pelo fabricante. Evidentemente, devemos permanecer do lado de fora do veículo.

Depois desse tempo, será necessário ventilar bem o veículo, deixando as portas abertas, por exemplo, ou as janelas. Quando toda a área estiver ventilada, o processo estará finalizado.

Oficina especializada, centro de confiança

Atualmente, muitas pessoas ficam em dúvida sobre a segurança em alguns lugares, como o comércio local, os supermercados, as grandes lojas e inclusive as oficinas mecânicas.

Para explicar como as oficinas se adaptam às novas circunstâncias da pandemia, a Cesvimap publicou recentemente um extenso artigo no qual estão detalhadas todas as medidas e protocolos aplicados no setor, “protocolos elaborados especificamente para associar as diferentes atividades do negócio ao cuidado com a saúde”.

Independentemente da existência de protocolos e de sua aplicação efetiva, os clientes devem perceber rapidamente que na oficina são realizadas as medidas adequadas, pois essa é a chave para a geração de confiança.