MAPFRE
Madrid 2,36 EUR 0 (0,17 %)
Madrid 2,36 EUR 0 (0,17 %)

ECONOMIA| 13.09.2023

Empreender, 5 dicas para transformar sua ideia em negócio

Thumbnail user

Empreender é frequentemente associado ao ditado quem arrisca, não petisca, como se estivesse reservado apenas aos amantes da adrenalina e, apesar de ser muito difícil garantir o sucesso, também é difícil garantir o fracasso.

Na Espanha, a atividade empreendedora já se situa nos níveis pré-pandemia, segundo o último relatório GEM Espanha 2022-2023 sobre o empreendimento inovador em colaboração com o Observatório MAPFRE de Finanças Sustentáveis. Segundo o relatório, 6% da população espanhola adulta empreendeu um negócio há menos de três anos e meio, enquanto 9,4% da população tem intenção de empreender nos próximos anos.

Cada empresa que nasce parte de uma ideia de negócio diferente que, junto com uma proposta de valor e um propósito firme, dará vida ao projeto. Não podemos dizer quais devem ser os motivos que o levem a empreender, mas sim dar alguns conselhos para que seu caminho para o sucesso seja o mais preciso possível.

Analise o mercado e, quando já tiver feito isso, volte a analisá-lo

Não existe empresa sem clientes, mas também não sem concorrentes. O ambiente econômico, social, político, cultural e até geográfico no qual você vai empreender determinará a viabilidade do seu projeto e, na maioria dos casos, definirão qual deve ser o modelo de negócio e a estratégia a seguir. Você deve conhecer seu setor detalhadamente e levar em conta fatores como se o mercado já está saturado ou não do nosso produto ou serviço, se sua ideia já tentou ser realizada, mas falhou, se você é pequeno demais para liderar uma disrupção, se sua inovação terá limites legislativos… Para isso, duas boas ferramentas são a análise ABA (análise de fatores Políticos, Econômicos, Sociais, Tecnológicos, Ecológicos e Legais) e analisar as 5 forças de Porter (medir o potencial de uma empresa segundo o poder de seu cliente, o poder de negociação com os prestadores, a ameaça de novos concorrentes, a ameaça de produtos substitutivos e a natureza da rivalidade de concorrentes já existentes).

Tenha um Plano de Negócios sólido

Sabemos que muito se fala por aí… mas isso não anula o fato de que você deva partir de uma base sólida. Seu plano financeiro mudará, assim como seu plano comercial e sua estratégia de marketing também, mas seu Plano de Negócios deve ser consistente. Em uma primeira etapa, o plano de negócio será o único elemento tangível da sua empresa, é a unidade de vida mínima do seu projeto, por isso deve conter toda a informação indispensável para começar e deve responder a todas as dúvidas que possa ter qualquer stakeholder do seu negócio. Um dos pontos mais importantes dentro do Plano de Negócios é a coerência, independentemente de ser mais ou menos conservador. Entender os principais conceitos financeiros é essencial para poder elaborar um bom plano de negócios, assim como ter uma visão holística da gestão empresarial e da liderança. Investir em formação e se cercar de profissionais que lhe complementem é imprescindível para empreender.

Sempre que puder: protótipo

Do mesmo modo que analisar o mercado é analisar como sua ideia vai interagir com ele. Além de ser um produto ou um serviço, tente sempre prototipar sua ideia. Levar ao mercado uma mínima unidade viável do seu produto, mesmo que seja em papelão, em forma de página web simples ou um simples croquis, é uma grande prática para minimizar riscos. Realizar um focus group, inclusive com amigos e familiares, é uma boa maneira de analisar esse primeiro contato que o usuário terá com seu produto.

Nem todo dinheiro é bom

Ao começar a empreender, um dos principais objetivos costuma ser chegar ao break-even (momento em que a empresa deixa de gerar perdas e custos e receitas se igualam) o mais rápido possível. Para isso, algumas startups priorizam gerar receitas, apesar de que isso signifique perder o foco da missão, visão e, no final, dos valores. Com dinheiro falamos de todo o dinheiro: por um lado, a distribuição do capital social e do patrimônio. No mundo dos negócios, escolher bem seus colegas de viagem é tão importante quanto na própria vida, e todos sabemos que algumas combinações não são compatíveis. Acessar investidores que não compartilham a sua cultura ou propósito pode ser sinônimo de fracasso. Devemos agir da mesma maneira com o dinheiro dos clientes: você não pode comprometer a integridade do seu projeto só porque alguém paga por isso.  Se a ideia for boa, o cliente correto chegará no devido tempo. Ninguém disse que seria fácil, seja persistente e se rodeie de pessoas que também criam nela. No final, isso definirá sua empresa, além da sua conta de resultados.

Sustentabilidade para hoje, pão para amanhã

Seja em nível social, ambiental ou econômico, se uma empresa não possui a sustentabilidade no centro do seu modelo de negócio, a longo prazo, não será rentável. A responsabilidade social corporativa deve acontecer de dentro para fora, e não o contrário. Há muitas maneiras de ter um papel ativo e um compromisso real com os aspectos que mais de perto tocam seu modelo de negócio. Uma boa maneira de ver de que maneira e em que âmbitos incidir ou liderar projetos é através dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que estabelecem as principais linhas nas quais empresas, instituições e cidadãos podem contribuir. 

Com o programa Insur _ Space da MAPFRE Open Innovation desde 2018 ajudamos a tornar realidade projetos e startups que contribuem para a inovação e o progresso econômico e social. Além disso, na MAPFRE acreditamos que o talento não tem idade, por isso publicamos a Guia do empreendimento sênior dentro da iniciativa Ageingnomics, e destinamos nossos recursos a impulsionar o empreendimento em todas as gerações.

ARTIGOS RELACIONADOS: