MAPFRE
Madrid 2,16 EUR -0,04 (-1,73 %)
Madrid 2,16 EUR -0,04 (-1,73 %)

FINANÇA | 23.10.2020

MAPFRE compra um edifício em Luxemburgo pelo seu fundo imobiliário com a GLL

 

Thumbnail user

A instituição investiu 150 milhões de euros dos 300 milhões comprometidos com o parceiro alemão e outros investidores institucionais

A MAPFRE adquiriu um edifício de escritórios em Luxemburgo, atual sede do escritório de advocacia Clifford Chance. É um imóvel de 5.195 metros quadrados, dos quais 82% da superfície corresponde aos escritórios, localizado no coração do distrito financeiro da cidade e que possui a certificação de sustentabilidade BREEAM.

A operação, realizada por meio de um share deal ou compra da empresa proprietária do ativo, foi realizada por meio do fundo SIEREF-GLL lançado com sua sócia-gestora a Real Estate Partners (Grupo Macquarie). O acordo, assinado no primeiro trimestre de 2018, previa o investimento de até 300 milhões de euros em imóveis “prime” nos principais mercados europeus durante um período de dois ou três anos. Desde então, 150 milhões já foram comprometidos com a compra de prédios em cidades como Paris, Milão, Hamburgo e Luxemburgo. A MAPFRE contribui com 50% do capital e o resto foi distribuído entre um grupo de seis investidores institucionais, principalmente dos setores de seguros e financeiro, e com a própria GLL.

No investimento imobiliário por meio de fundos, a MAPFRE também mantém uma joint venture com a Swiss Life Asset Managers France, com a qual já atingiu o volume comprometido de 375 milhões de euros com a compra de edifícios importantes em Paris.

Por sua ver e em virtude do compromisso com o mercado imobiliário e no segmento de investimentos alternativos, a MAPFRE lançou este ano dois fundos de fundos em conjunto com a sua parceira Abante: o primeiro de private equity para o qual um acordo foi assinado com a Altamar; e outro de infraestrutura, com fundos subjacentes administrados pela Macquarie.

Os investimentos seguem a estratégia do grupo segurador de diversificação da carteira com outros tipos de ativos financeiros, e de aumento gradual de investimentos alternativos, com o objetivo de defender a rentabilidade em um contexto de baixas taxas de juros com mínimos históricos. Nesse sentido, no meio do ano, o Conselho de Administração da MAPFRE autorizou, em meados de 2019, o investimento de mais 500 milhões de euros em investimentos alternativos, que se somam aos 550 já aprovados previamente