MAPFRE
Madrid 2,138 EUR -0,04 (-1,84 %)
Madrid 2,138 EUR -0,04 (-1,84 %)

CORPORATIVO| 12.09.2023

MAPFRE analisa os desafios sociais e ambientais na terceira reunião anual da UNEP FI 2023 das Nações Unidas

Thumbnail user
  • MAPFRE trabalha em diferentes áreas para fechar brechas de desigualdade e ajudar as sociedades no desenvolvimento de políticas inclusivas, igualitárias e justas para as pessoas.  

  • A UNEP FI trabalha com mais de 400 membros, incluindo seguradoras, bancos e investidores, para impulsionar um modelo que ajude a corrigir os desequilíbrios que mantém a sociedade longe da Agenda 2030.
  • A seguradora faz parte desse grupo de especialistas de alto nível internacional que oferece recomendações às Nações Unidas para acelerar a ação pelo desenvolvimento sustentável.

“Nossa forma de implementar a sustentabilidade social é pensando nas pessoas, fechando as brechas de desigualdade, dentro e fora da empresa e desenvolvendo políticas de inclusão, igualitárias e justas para as pessoas. Também cuidando do meio ambiente, com uma perspectiva justa para todas as gerações e agindo com alta exigência ética na gestão do negócio e na governança da empresa”. 

Foi o que asseverou Antonio Huertas, presidente da MAPFRE, durante sua participação hoje, terça-feira, 12 de setembro, na UNEP FI European Regional Roundtable, evento organizado pela Iniciativa Financeira do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP FI), a primeira mesa-redonda que organiza essa entidade em Madri e que também contou com a presença de Carlos Torres, presidente do BBVA, Ana Botín, presidente do Santander, e José Ignacio Goirigolzarri, presidente do CaixaBank. Os quatro mantiveram uma conversa para analisar o compromisso em matéria de sustentabilidade e compartilhar suas boas práticas de negócio responsável na área financeira e seguradora.           

Antonio Huertas: “A transição energética também precisa ser justa para as pessoas”

Dividendo social 

Durante sua participação, o presidente da MAPFRE, que centrou grande parte de seu discurso na necessidade de também colocar o foco da sustentabilidade nas pessoas, no social, exigiu que a transição energética, além de urgente, também precisa ser justa intergeracionalmente, levando em consideração o impacto sobre a geração de pessoas que tiveram que realizá-la. Não podemos deixá-los sem atividade econômica por motivos ambientais, sem oferecer uma alternativa sustentável para continuar ganhando a vida. Por isso, disse Huertas, “na MAPFRE, nosso compromisso com o meio ambiente é elevar a exigência de sustentabilidade de maneira firme e progressiva, acompanhando a sociedade em uma transição justa e auxiliando nossos clientes e pessoas que dependem de sua atividade para convergir também nessa direção”. Nesse sentido, temos compromissos públicos voltados a apoiar a descarbonização da economia, como ser neutros em carbono até 2030 em todo o Grupo e alcançar zero emissões líquidas em nossas carteiras de assinatura de seguros e resseguros até 2050”. 

Compromissos ESG

Durante sua participação, Antonio Huertas salientou outros compromissos relevantes em termos de sustentabilidade, como a eliminação da desigualdade salarial de gênero, alcançar 3,5% de pessoas com deficiência no quadro de funcionários, a homologação de 14.500 prestadores com critérios de sustentabilidade até 2024 e a qualificação com critérios ESG de 90% da carteira de investimento. 

Atualmente, a multinacional está implementando seu Plano de Sustentabilidade 2022-2024, uma estratégia totalmente integrada no negócio e na tomada de decisões de todas as áreas da empresa e que responde às necessidades de todos seus grupos de interesse. Trata-se de um plano extremamente ambicioso, com mais de 20 objetivos mensuráveis, alcançáveis e realistas.

UNEP FI, chave para passar à ação 

Ao longo de seus trinta anos de história, a UNEP FI trabalhou com líderes financeiros para criar alguns dos marcos mais importantes orientados para a sustentabilidade dentro da indústria financeira e seguradora, como os Princípios para o Investimento Responsável (2006) e os Princípios para a Sustentabilidade dos Seguros (2012).