MAPFRE
Madrid 2,216 EUR -0,02 (-1,07 %)
Madrid 2,216 EUR -0,02 (-1,07 %)

SUSTENTABILIDADE | 29.04.2024

A era de ouro da geração sênior

Carmen Toro

Carmen Toro

O envelhecimento não está mais associado à ideia de aposentadoria e à paralisação da vida da geração mais velha, mas, atualmente, cada vez mais pessoas idosas estão praticando o "envelhecimento ativo", participando de atividades de lazer, na vida pública ou na esfera econômica.

Há poucos anos, talvez associássemos a ideia de limitação como algo intrínseco ao envelhecimento. Felizmente, porém, nas últimas duas ou três décadas, nossa sociedade conseguiu atingir o estágio de “envelhecimento ativo”, no qual, após os 60 ou 65 anos, as pessoas da geração sênior não estão mais em uma esfera “separada”, mas desempenham um papel ativo nas diferentes esferas sociais.

Os avanços em saúde e nutrição, o aperfeiçoamento do setor de assistência, as novas oportunidades oferecidas pela tecnologia ou a mudança cultural entre as gerações mais velhas estão entre alguns dos principais motivos que provocaram essa nova maturidade ativa, na qual as pessoas com mais de 60 anos desempenham um papel importante na vida pública, na esfera econômica ou em termos de oferta de lazer, entre outros.

Esperança de vida e envelhecimento ativo

Hoje, conseguimos não apenas uma expectativa de vida mais longa, mas além de viver mais, conseguimos também uma qualidade de vida mais alta. Em uma sociedade eminentemente envelhecida –segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2020, o número de pessoas de 60 anos ou mais superou o de crianças menores de cinco anos-, é fundamental contribuir em conjunto para melhorar a vida das pessoas idosas e fugir do estereótipo do «etarismo».

O envelhecimento é resultado do acúmulo de uma grande variedade de danos moleculares e celulares ao longo do tempo, que, em geral, costuma acarretar uma queda gradativa das capacidades físicas e mentais, mas isto não quer dizer que ao chegar a certa idade a vida tenha que ser interrompida. Longe disso.

Quando se trata de envelhecer de uma forma ou de outra, o contexto social, familiar e econômico em que as pessoas vivem, bem como a moradia, a vizinhança e a comunidade em que vivem, têm muito a ver com o envelhecimento. Todos esses fatores, bem como as características pessoais, como gênero, predisposição genética ou status socioeconômico, têm um impacto sobre o envelhecimento.

Tudo isso pode influenciar nas oportunidades, decisões e hábitos relacionados com a saúde e o envelhecimento. Não obstante, há decisões que podem e devem ser tomadas de forma consciente para fomentar um melhor envelhecimento. Em particular, manter hábitos saudáveis ao longo da vida, como seguir uma dieta equilibrada, realizar atividade física com regularidade ou abster-se de consumir tabaco e álcool, contribui para reduzir o risco de doenças não transmissíveis e melhorar a capacidade física e mental. Portanto, isso também ajuda a retardar a dependência de cuidados, como afirma a OMS.

Como o envelhecimento ativo pode ser promovido na geração mais velha?

Atualmente, a disponibilidade de edifícios seguros e acessíveis e de transporte público, a melhoria das comunicações, bem como a disponibilidade de locais fáceis e agradáveis para caminhar ou a disponibilidade de acesso a novas tecnologias são exemplos de ambientes que favorecem um melhor envelhecimento.

O mesmo se aplica à oferta de um catálogo de atividades para pessoas com mais de 60 anos para estender e melhorar sua expectativa de vida, sejam elas cursos, opções de esporte ou exercício, ou até mesmo a continuação dos estudos ou a possibilidade de retomar antigos hobbies.

“Nosso dever como sociedade e como membros da comunidade global é enfrentar os desafios da longevidade e liberar seu potencial“ disse o Secretário Geral das Nações Unidas António Guterres por ocasião do Dia Internacional do Idoso. "Devemos promover a inclusão social, econômica e política de todas as pessoas em todos os estágios. Esse compromisso está consagrado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): aprendizagem ao longo da vida, forte proteção social, cuidados de saúde de longo prazo acessíveis e de qualidade, redução da exclusão digital, apoio intergeracional, dignidade e respeito são essenciais."

A MAPFRE é consciente da importância que as pessoas idosas e sua qualidade de vida têm na nossa sociedade e, por isso, conta com produtos específicos para a “Geração Sênior”, as pessoas que continuam a seguir em frente com vitalidade e otimismo quando chegam ao fim de sua idade ativa.

Tornar mais fácil a vida dos idosos

Em última instância, trata-se de seguir os Princípios das Nações Unidas para os Idosos para continuar fomentando um envelhecimento ativo: independência, participação, assistência, realização dos próprios desejos e dignidade. Além disso, é necessário prestar atenção especial aos idosos marginalizados e àqueles que vivem em áreas rurais, já que enfrentam o envelhecimento em certas condições de desigualdade.

Por isso, a MAPFRE dispõe de uma ampla gama de produtos seguradores especialmente orientados a esta geração, com o objetivo de proporcionar segurança e tranquilidade em todos os momentos e em todas as circunstâncias. A Geração Sênior da MAPFRE engloba uma ampla gama de produtos projetados especificamente para esses homens e mulheres que não param quando chega o fim de sua vida profissional, mas que dão uma “reviravolta” em sua vida e continuam a seguir em frente com otimismo e vitalidade.

O seguro de acidentes Sênior oferece aos maiores de 55 anos indenizações por lesões em caso de acidente, uma ajuda específica de até 200 horas de serviços de assistência para o segurado ou para um familiar do segurado até a recuperação daquele, bem como serviços de orientação e atendimento pessoal para situações de dependência.

A MAPFRE também oferece aos seus clientes idosos um seguro de dependência, uma solução voltada especificamente para pessoas entre 55 e 75 anos de idade, por meio da qual o segurado recebe uma renda mensal, constante e não reversível, estabelecida por garantia e que representa um importante complemento à sua aposentadoria e poupança para cobrir a mais do que provável situação de dependência que, hoje em dia, as pessoas da “idade de prata” são chamadas a viver, já que os fundos públicos são limitados.

Quanto à hipoteca reversa, essa é outra solução que a MAPFRE oferece a seus clientes, que também serve como complemento à aposentadoria e permite cobrir os custos relacionados à maior longevidade de hoje ou, simplesmente, melhorar o poder de compra das pessoas naqueles muitos anos a mais oferecidos pela atual expectativa de vida. Além de obter um complemento das receitas mensais, com esta hipoteca inversa também são obtidas vantagens fiscais. E, é claro, a propriedade da casa é mantida.

Outras das diversas soluções que a MAPFRE coloca à disposição das pessoas adultas é Multimap, uma solução para as necessárias reformas e consertos do lar, que permite tornar a moradia mais acessível e que oferece mais de 400 serviços de qualidade, um serviço 24 horas e assistência urgente em menos de 3 horas, além de 6 meses de garantia em todos os serviços e com cobertura nacional.

Savia, por sua vez, é o conjunto de soluções de saúde digitais e presenciais que a MAPFRE coloca à disposição das pessoas sob um modelo de pagamento por uso para aqueles momentos em que outras soluções não cobrem as necessidades das pessoas e como alternativa a complementar a saúde pública de forma sustentável no tempo, podendo consumir o cliente exclusivamente os serviços de saúde necessários em cada momento.

Em suma, como afirma Antonio Guterres: “Juntos poderemos construir sociedades mais inclusivas e amigáveis com as pessoas idosas, e um mundo mais resiliente”. Para que o envelhecimento se torne uma experiência positiva, uma vida mais longa deve ser acompanhada de oportunidades contínuas de saúde, participação e segurança.

 

ARTIGOS RELACIONADOS: