MAPFRE
Madrid 2,228 EUR 0,03 (+1,55 %)
Madrid 2,228 EUR 0,03 (+1,55 %)

SEGUROS| 04.04.2024

O desafio da rinite: quem sofre de alergia dirige perigosamente

Thumbnail user

Desafios sazonais aumentam o risco de sinistros durante a primavera. Com a chegada da primavera, não apenas a temperatura aumenta, mas também o risco de sinistros. A Verti Versicherung AG conhece os desafios da primavera nas estradas e oferece dicas para um comportamento seguro na hora de dirigir.

Para muitos, as primeiras flores da primavera também marcam o início da temporada de rinite. De acordo com o Instituto Robert Koch, cerca de 15% dos alemães sofrem com os sintomas da rinite, que incluem aumento do cansaço e, acima de tudo, ataques repentinos de espirros.

Ataques de espirros no carro podem levar a situações perigosas

“Os ataques de espirros ao dirigir podem levar a situações perigosas”, alerta Alexander Held, especialista em veículos automotores e seguros da Verti Versicherung AG. “Quando espirramos, fechamos os olhos reflexivamente por um segundo e isto significa que ficamos cegos por quase 15 metros em áreas urbanas e até bem mais de 30 metros na estrada a velocidades de 120 ou 130 km/h”. Mesmo que você esteja procurando os lenços de papel que colocou no bolso, você se distrai por um momento.

“Embora vasculhar o chão seja geralmente considerado negligência grave, o que coloca sua cobertura de seguro em risco, isso não é geralmente assumido no caso de um ataque de espirros”, explica Alexander Held. Portanto, após um sinistro causado por espirros, a seguradora geralmente paga: o seguro de responsabilidade civil, para veículos automotores, paga pelos danos causados a terceiros e o seguro totalmente abrangente paga pelos danos ao próprio automóvel. O especialista em seguros acrescenta: “No entanto, os motoristas geralmente são obrigados a dirigir com cuidado e consideração mútua. Portanto, é essencial manter uma distância suficiente do veículo da frente, e se você sentir uma sensação de formigamento no nariz, encoste o carro, se possível, pare e apenas continue dirigindo depois de espirrar e assoar o nariz”.

Faça a manutenção dos sistemas de ventilação e limpe o interior do veículo periodicamente

Para minimizar o risco de um ataque de espirros, recomenda-se a manutenção periódica dos sistemas de ar-condicionado e ventilação e a substituição dos filtros de pólen do veículo. “Se eles não forem trocados regularmente, é preciso manter as janelas fechadas e mudar o ar-condicionado para ar recirculado”, aconselha Alexander Held. A limpeza frequente do interior do veículo também é recomendada para minimizar o acúmulo de poeira e reduzir a exposição a alérgenos. O seguinte também é importante para o especialista em automóveis: “Apesar do pólen do lado de fora, as pausas são essenciais em viagens mais longas de carro; as pessoas alérgicas devem procurar interiores com ar-condicionado, se possível”, recomenda Alexander Held. 

Entretanto, recomenda-se cautela com os medicamentos: Por exemplo, sprays nasais antialérgicos podem ajudar a evitar ataques de espirros. “Por outro lado, muitos medicamentos causam efeitos colaterais, como cansaço ou redução da capacidade de reação e, portanto, podem prejudicar sua capacidade de dirigir”, explica ele. Ao contrário dos ataques de espirros inesperados, os motoristas que tomam esses medicamentos e causam um sinistro correm o risco de perder a cobertura do seguro. Isso se aplica especialmente à automedicação, praticada por muitas pessoas alérgicas.

Aumento do risco de sinistros devido ao cansaço da primavera e às mudanças de horário

O período imediatamente posterior à mudança para o horário de verão, no final de março, também representa um risco maior nas estradas. A hora de sono perdida pode prejudicar a concentração e a capacidade de reação dos motoristas. Além disso, há o conhecido “cansaço da primavera”. O corpo precisa ajustar seu biorritmo às temperaturas mais quentes. “Vasos sanguíneos dilatados e queda da pressão arterial podem facilmente levar a reações mais lentas e desatenção no decorrer dessa fase”, diz Alexander Held. Os exercícios ao ar livre ajudam a combater o cansaço da primavera ou de outras estações. “Portanto, o mesmo se aplica aqui: certifique-se de fazer pausas suficientes ou, pelo menos, abra a janela para receber uma dose de oxigênio em viagens mais curtas”, diz o especialista em veículos.

Onda de frio na primavera: a importância de usar os pneus certos

A primavera também é conhecida por seu clima instável, que pode levar a repentinas ondas de frio em abril. Os motoristas que já mudaram para os pneus de verão devem definitivamente mudar para o transporte público em condições de neve e gelo: “Isso ocorre porque a chamada obrigação situacional de pneus de inverno também se aplica na primavera”, enfatiza Alexander Held. “Qualquer pessoa que dirija com pneus inadequados, apesar das condições das estradas de inverno, corre o risco não apenas de ser multada, mas também de perder a cobertura do seguro em caso de sinistro”.

 

ARTIGOS RELACIONADOS: