MAPFRE
Madrid 2,204 EUR -0,02 (-0,81 %)
Madrid 2,204 EUR -0,02 (-0,81 %)

ECONOMIA | 12.07.2023

A MAPFRE Economics reduz sua previsão de crescimento global de 2,6% em 2023

Thumbnail user
  • O cenário de estagflação global permanece, com um crescimento inferior ao potencial, especialmente nas economias desenvolvidas.
  • As previsões de inflação continuam estáveis, com um possível endurecimento monetário por parte dos bancos centrais para tentar diminuir a taxa subjacente.
  • Os Estados Unidos crescerão previsivelmente 1,3% este ano, enquanto a Zona do Euro crescerá 0,6%, Ásia Pacífico 5,2% e América Latina 1,2%.

A MAPFRE Economics, o Serviço de Estudos da MAPFRE, reduziu sua previsão de crescimento global para 2023 para 2,6%, em relação ao 2,8% previsto em abril, e descarta a entrada em recessão da economia mundial, dado um cenário estagflacionário com fraco crescimento do PIB e inflação persistente, especialmente em termos de taxa subjacente. O crescimento esperado para 2024 diminuiu ainda mais que o de 2023 e está em 2,3%, em relação ao 3% previsto em abril e ao 2,7% para o início do ano.

O relatório “Panorama econômico e setorial 2023: perspectivas para o terceiro trimestre”, editado pela Fundación MAPFRE, explica que a atividade global continuou sua consolidação dos sinais de “otimismo cauteloso” com os quais começava o ano e conseguiu permanecer na trajetória de crescimento positivo, com moderados mas favoráveis avanços no lado da inflação e superando tanto a normalização acelerada da política monetária quanto as perturbações no setor bancário, que alertavam sobre possíveis problemas na saúde do sistema financeiro.

No que diz respeito à inflação, as previsões continuam sem alterações, com 7% em 2023 e 4,9% em 2024, após uma rápida moderação dos componentes da oferta, embora a prosperidade do setor de serviços tenha promovido que a taxa subjacente continue em níveis ainda desconfortáveis. Por esse motivo, o Serviço de Estudos da MAPFRE prevê um endurecimento das condições financeiras com aumentos adicionais de taxas tanto nos Estados Unidos quanto na Zona do Euro.

Espera-se um crescimento previsível dos Estados Unidos de 1,3% para este ano, graças à resistência do consumo e ao mercado de trabalho, embora a MAPFRE Economics continue antecipando uma breve recessão no último trimestre do ano, um pouco mais tarde do que o previsto inicialmente. Até 2024, o país experimentará um crescimento de 0,5%, enquanto a inflação será de 4,1% em 2023 e de 2,9% no ano seguinte.

A Zona do Euro mantém a previsão de crescimento para este ano em 0,6%, apesar dos maus dados macroeconômicos registrados no primeiro trimestre e com menor apoio dos países com uso intensivo de manufaturas. Até 2024, a previsão é de que o PIB aumente em 1%. No entanto, as previsões de inflação aumentam marginalmente em 5% para 2023, enquanto a taxa esperada até 2024 é substancialmente inferior, de 1%, abaixo do nível objetivo dos bancos centrais. Boas notícias neste sentido são aguardadas na indústria, enquanto a taxa subjacente continuará com avanços marginais e sujeita aos riscos relacionados à evolução dos salários.

O consumo permanecerá fraco, embora a MAPFRE Economics preveja uma melhoria até 2024, graças ao impulso dos salários e com certa inclinação para os serviços, o que daria, por sua vez, estímulo às economias do sul do continente, como a Espanha e a Itália.

A Ásia Pacífico mantém uma perspectiva positiva em relação ao crescimento, com uma previsão de aumento do PIB de 5,2% este ano e de 4,7% no próximo, com uma inflação significativamente menor que a dos países desenvolvidos, de 2,5% e 2,3%, respectivamente. Após uma reabertura pós-pandemia mais fraca do que o esperado, a China está em uma fase de “recuperação” e pode se recuperar na segunda metade do ano, graças a uma política econômica mais proativa e ao apoio de uma política monetária mais relaxada. Então, a MAPFRE Economics espera um crescimento de 5,3% em 2023 e de 4,7% até 2024.

As perspectivas para a América Latina foram revisadas para cima, para 1,2% em 2023 e 1,4% para o próximo ano, graças à melhoria nas economias do México, que está se beneficiando do “nearshoring”, e do Brasil, devido à melhoria de sua qualificação de crédito. A inflação continua a desacelerar e fechará o ano em 13,3%, embora no próximo ano diminua para 9%, com um ritmo mais rápido do que o das economias desenvolvidas.

Para a Espanha, a MAPFRE Economics espera um crescimento mais forte que nos últimos meses, com um aumento do PIB em 2023 de 2,2%, seguido por mais 1,9% em 2024, impulsionado pela moderação dos custos da energia, a recuperação do turismo e a normalização dos gargalos. A inflação, por sua vez, este ano deve ficar em 3,4%, abaixo das taxas do resto dos países do redor, e em 2,5% no próximo ano.

Impacto no setor segurador

A revisão das estimativas de crescimento econômico apresenta um cenário misto para a atividade e rentabilidade das entidades seguradoras, uma vez que o endurecimento das condições financeiras para os lares, negócios e empresas começa a ser observado na economia real, o que pode se traduzir em crescimentos menores das linhas mais cíclicas do negócio segurador.

Os maiores níveis de taxas de juros estão ajudando o desenvolvimento do negócio de seguros de vida economia e rendas vitalícias, embora a inversão da inclinação das curvas das taxas de juros apresentadas por muitos mercados tenha se tornado mais acentuada, tornando mais complexa a gestão dos produtos com garantias de taxas de juros a médio e longo prazo.

A demanda no ramo de automóveis melhorou, graças à normalização das cadeias de fornecimento e de certa demanda reprimida, embora a persistência da inflação continue a afetar sua rentabilidade, enquanto os seguros de saúde continuam com boas perspectivas. As carteiras de investimentos se beneficiaram dos bons resultados do primeiro semestre, especialmente em renda variável, após o impacto negativo dos aumentos acelerados das taxas no ano passado.

Você pode consultar o relatório completo aqui.