ZoomTalentoImprensa

5
continentes

 

34.000
colaboradores

Investimos por princípios, convencemos pela lucratividade

Assumimos a parte que nos interessa no desenvolvimento sustentável

Trabalhamos com conhecimento e reflexão para criar debate público

M

CORPORATIVO | 14.10.2020

A aviação, motor dos negócios da MAPFRE Global Risks na América Central

Marta Villalba

José María Romero

CEO Sub-região América Central e República Dominicana

Na MAPFRE Global Risks sabemos que a confiança é a chave para a construção de relações duradouras: a transparência nos processos e a comunicação com os nossos clientes são a nossa razão de ser.

Da MAPFRE Global Risks oferecemos soluções de seguros a grandes empresas, com larga experiência na liderança de programas internacionais por meio de uma rede de serviços que opera em mais de 100 países.

A nossa posição no mercado espanhol e a relevância adquirida na América Latina, bem como o sólido crescimento internacional nos últimos anos demonstram a nossa capacidade de desenvolver soluções à medida para os riscos mais complexos: Energia (electricidade e Oil&Gas), Indústria, Telecomunicações, Construção, Grande Setor de Infraestruturas, Aviação e Espaço, Marítimo e Serviços. Trabalhamos para superar as expectativas dos nossos clientes.

A sub-região, juntamente com o México, faz parte da estrutura Latam Norte, e nosso âmbito geográfico é ocupado pela Guatemala, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Panamá e República Dominicana. Somos a companhia privada número 1 no setor e este ano desejamos oferecer ao grupo cerca de 900 milhões de euros em prêmios e mais de 40 milhões no resultado atribuído, graças a uma equipe jovem, comprometida, com capacidade de gestão, que com forte implantação territorial nos ajuda a continuar apostando por um modelo multipaís. Assim, o objetivo principal é facilitar o dia a dia de nossos clientes, intermediários e provedores, com respostas integrais, homogêneas e de vanguarda.

Em nosso meio, as capacidades como empresa multinacional que opera em todos os ramos do setor, incluído o seguro-fiança, nossas filiais de Assistência e Seguros de Crédito, contar com uma resseguradora própria e, de maneira especial, com UGR como empresa especializada em grandes clientes, bem como nossa presença em todos os continentes, possibilita ter grande visibilidade por ser a única multinacional com operações em todos os países.

No cenário atual de redução de investimentos privados, declínio econômico e de capacidades produtivas, as grandes companhias enfrentam em nossos países alguns desafios, em que a confiança, solvência, o modelo empresarial, a visão, a experiência, bem como a capacidade técnica e financeira da Unidade de Global Risks serão determinantes pelo peso e potencial na carteira de nossos países ao momento de enfrentá-los com garantias de sucesso:

  1. Dependência das exportações
  2. Queda de preços nos produtos primários, originada pela contração da demanda mundial e pela dependência das taxas de intercâmbio
  3. Forte retrocesso do turismo. Em alguns países de nosso meio, é a segunda fonte de receitas depois das remessas
  4. A aversão ao risco, o agravamento nas condições financeiras e a saída de fluxos de investimento em carteira.
  5. Incerteza geopolítica

Mesmo em um cenário previsível de retrocesso nos prêmios no negócio de seguros, com efeito assimétrico por setores, na  MAPFRE apostamos de maneira firme pela América Central e a República Dominicana, como região de grande potencial para continuar gerando crescimentos futuros e que funciona, em grande medida, como bloco emergente, capaz de crescer acima de outros países da América Latina com ótimos índices de rentabilidade e adequado retorno de capital. Em seu conjunto, a América Central continua sendo o centro de atração empresarial e, mesmo com muitos problemas sociais e estruturais, foi possível estabelecer laços e conexões internacionais que, graças aos importantes incentivos fiscais, propiciaram a atração de capital externo.

No negócio de retail, a baixa inserção do setor e sua participação insuficiente no PIB nos países de nosso meio, condicionam de maneira importante o crescimento econômico. Isto acontece devido à escassa proteção da maioria das famílias/pequenas e médias empresas, que são obrigadas a enfrentar situações complexas com seu próprio patrimônio. Nesse sentido, na sub-região da MAPFRE enfrentamos nosso futuro mais imediato, focando nos seguintes desafios:

  • Transformação digital, tecnologia e aposta pela inovação e modelos homogêneos.
  • Redução da brecha de proteção em seguros
  • Impulsionamento do conhecimento de incentivos fiscais baseados nas características de cada mercado
  • Potencialização do índice de inserção do seguro de vida, como medida básica de proteção social
  • Enfrentar novos contextos regulatórios, Solvência II, Seguros Obrigatórios
  • O problema das pensões/envelhecimento da população. Altas taxas de informalidade e a porcentagem de trabalhadores que contribuem na Previdência é insuficiente
  • Aposta pela mediação profissional/cultura do seguro.

Nossa presença nas grandes empresas e o desenvolvimento de negócio UGR ajuda a reduzir o impacto social do mencionado acima. Isto acontece porque é um canal excelente, e com nossas soluções de seguros e modelos de relação conseguimos acesso a programas de outros ramos, (operações de benefícios, affinities, em massa, etc.). As sinergias com Solunion e nossas filiais de assistência ajudam a conformar uma oferta diferenciada em um mercado de alta concorrência, em que bancos e grandes brokers internacionais configuram o principal canal de distribuição e que precisam de soluções de vanguarda, bem como de um exigente “time to market”.

“Apostamos pela confiança para construir relações a longo prazo, baseadas na transparência e em uma contínua comunicação com nossos clientes. ”

Este ano, a “estrela” são os novos negócios de aviação, com bons resultados na Guatemala, Costa Rica e Panamá. Nossos prêmios, em 68%, procedem do setor. Em energia, o ajuste de potência mínima para 100 megawatts e o endurecimento das condições de mercado está nos ajudando a ingressar nas operações locais. Na construção, e apesar de termos experimentado uma situação temporária de paralisação da atividade, conseguimos identificar com UGR doze grandes projetos na região, com investimento total previsto superior a 22 mil milhões de dólares e no qual depositamos muitas esperanças.

Mais problemas há em riscos industriais, por ser o setor mais concorrido e pelas especificidades e exigências do mercado local. Quanto às oportunidades. É preciso considerar que, apesar de nosso tamanho relativamente pequeno, a América Central e a República Dominicana conformam um território comercial muito disputado pelo seu valor estratégico. Confluem grandes capitais locais, multinacionais latino-americanas, norte-americanas e europeias em diferentes setores: financeiro, energia, turismo, telecomunicações, logística, alimentação, etc. Em 2019, as receitas das 100 maiores empresas na América Central foram de mais de 70 mil milhões de dólares e, em geral, observam-se como características comuns o reconhecimento da marca, a experiência da organização, a capacidade produtiva e o conhecimento instalado graças aos muitos anos de operação.